Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Carlos César preferia Costa

A campanha à liderança do PS fez-se ontem nos círculos que elegeram os dois candidatos. Francisco Assis esteve no Porto e António José Seguro em Braga. Mas nenhum comentou as declarações de Carlos César, que no meio da disputa do apoio dos Açores diz que "António Costa era o melhor candidato para unir e reabilitar o partido".
19 de Junho de 2011 às 00:30
Presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César (à esquerda), recebeu ontem António José Seguro
Presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César (à esquerda), recebeu ontem António José Seguro FOTO: direitos reservados

Para os apoiantes de Assis, estas palavras vão ao encontro do líder parlamentar cessante, já que o presidente da Câmara de Lisboa o apoia. Na candidatura de Seguro, a alusão a Costa não tem leituras. "Não faz sentido. António Costa não é candidato", disse ao CM Miguel Laranjeiro, da candidatura de António José Seguro.

O melhor compromisso face às autonomias regionais terá o apoio dos Açores. Foi isso que Carlos César disse aos dois candidatos em reuniões: na sexta com Assis; ontem com Seguro. Ambos deram garantias, e César decidirá nos próximos dias. Também a federação de Castelo Branco, distrito eleitoral de José Sócrates, ainda não revelou quem apoia.

Ontem, António José Seguro recebeu mais um apoio autárquico de peso, a norte, através do presidente da Câmara de Vila do Conde, que é também líder da concelhia. O histórico Mário de Almeida, que foi o último presidente do PS na Associação ao Nacional de Municípios Portugueses, junta-se a José Luís Carneiro, de Baião, e a Joana Lima, da Trofa, dois autarcas do Porto que apoiam Seguro na distrital de Francisco Assis. Entretanto, os dois candidatos apostam agora no terreno, junto dos militantes de base.

António José Seguro reuniu cerca de 200 militantes no auditório da Associação de Futebol de Braga. "Não tive de pedir autorização a ninguém para me candidatar", disse.

Já Francisco Assis juntou apoios num hotel do Porto, com destaque para Augusto Santos Silva. O candidato anunciou também ontem que um dos seus objectivos como líder é reconquistar a autarquia do Porto à coligação PSD/CDS-PP, admitindo que para tal possa vir a fazer acordos com partidos à esquerda do PS.

CANDIDATOS ALHEIOS A CARGOS PARLAMENTARES

Amanhã há uma reunião da bancada dos socialistas, mas as eleições só devem ser marcadas terça--feira de amanhã, uma vez que há ainda vários elementos no Governo em funções que foram eleitos deputados. Para já, não há entendimento entre os dois candidatos, nem para a liderança parlamentar, nem para a vice-presidência da Assembleia da República. Francisco Assis defende que seja o secretariado nacional do partido a propor os nomes que têm de ser apresentados amanhã. Seguro ainda não se pronunciou.

PS CARLOS CÉSAR ANTÓNIO COSTA
Ver comentários