Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

Carmona a reboque dos jornais

A maioria PSD/CDS-PP que governa a Câmara de Lisboa não sabe se licenciou o empreendimento já em avançado estado de construção na Avenida Infante Santo. E também desconhece se parte da obra está a ser edificada em terrenos municipais. Mais, o executivo autárquico desconhecia até que o presidente, Carmona Rodrigues, tinha assinado um despacho a isentar a empresa dona da obra das taxas de construção, dando-lhe a possibilidade de pagar a dívida com dois edifícios em Campo de Ourique; as taxas totalizam cerca de 600 mil euros e os dois prédios valem, garante a Câmara, 900 mil euros.
27 de Julho de 2006 às 00:00
A Câmara foi apanhada pelo relatório que Carmona já conhecia
A Câmara foi apanhada pelo relatório que Carmona já conhecia FOTO: António Cotrim, Lusa
Há meses que os vereadores do PS e do Bloco de Esquerda questionavam o presidente e os vereadores sobre se o dono da obra tinha ou não pago as taxas devidas, mas só ontem tiveram a resposta, pois o assunto foi levantado pelo jornal ‘Público’. Como tal, PS, BE e PCP acusam Carmona de “andar a reboque os jornais”. É que já há uma semana Carmona divulgou o número de assessores nos gabinetes devido à notícia do CM e o despacho, anunciado ontem, data de 2004. Aliás, segundo um relatório da Provedoria de Justiça divulgado pelo ‘Público’, Carmona pode perder o mandato devido às irregularidades encontradas que terão, alegadamente, favorecido o dono da obra. Entre essas irregularidades está a isenção das taxas e a falta de licença, documento que a Câmara ainda não sabe se passou.
PROJECTOS NAS MÃOS DA JUDICIÁRIA
Carmona Rodrigues garante estar “muito bem” com a sua consciência quando tem sob investigação judicial muitos dos projectos que preconiza para Lisboa. O empreendimento Infante à Lapa, da Portobuilding – Investimentos e Construções SA, empresa ligada ao construtor Vítor Santos, está desde Janeiro sob investigação da Inspecção-Geral de Administração do Território e agora do Tribunal de Contas e da Procuradoria-Geral da República. Esta está também a apurar alegadas irregularidades nos projectos Alcântara XXI, Vale de Santo António e Parque Mayer, além da hasta pública da Feira Popular.
Como tal, o vereador socialista Gaioso Ribeiro lembrou a Carmona que tem a assumir responsabilidades políticas enquanto o vereador comunista Ruben de Carvalho lamentou as opções tomadas no urbanismo, que em pouco diferem da maioria de Santana, afirmou. PS, PCP e BE lembraram ainda a Carmona que o seu despacho carece da aprovação da Câmara e da Assembleia Municipal.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)