Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

CARRO DE MINISTRO REBOCADO EM ESPANHA

Uma viatura oficial do Ministério das Cidades e do Ambiente em que o ministro Amílcar Theias se deslocava foi bloqueado e posteriormente rebocado para o parque fechado do quartel da Guardia Civil espanhola, havendo necessidade da interferência das autoridades galegas para desbloquear a situação.
4 de Novembro de 2003 às 00:00
A situação, insólita, aconteceu em Santiago de Compostela, Espanha, na altura em que Amílcar Theias representava o Governo português na passagem de testemunho de Fraga Iribarne, presidente do governo da Galiza, a Arlindo Cunha, presidente da Comissão de Coordenação do Desenvolvimento Regional – Norte (CCDR-Norte), como presidente da Comunidade de Trabalho Galiza – Norte de Portugal. Esta comunidade tem uma presidência que alterna de dois em dois anos entre o responsável da região autónoma galega e o responsável da CCDR-Norte, sendo presidida desde sexta-feira por Arlindo Cunha.
No final dos trabalhos, quando os governantes abandonavam a sala, o motorista que conduzia o BMW oficial do Estado português, procurava em vão na rua a viatura que ali tinha deixado estacionada, sem a encontrar. "Foi dado o alarme, chegou a ser aventada a hipótese de o carro ter sido roubado, perante alguma agitação dos responsáveis portugueses e espanhóis que entretanto juntaram os seus esforços no sentido de descobrir o que tinha acontecido ao veículo", disse uma testemunha ocular ao CM.
O mistério foi desvendado algum tempo depois pelas entidades policiais de Santiago de Compostela. A viatura, que tinha sido deixada estacionada em área proibida, foi bloqueada (para que fosse passada a respectiva multa quando o dono chegasse). Passado algum tempo, como não apareceu ninguém, a viatura foi rebocada para o parque fechado do quartel da Guardia Civil galega.
Ao que o CM conseguiu apurar "foram utilizados os bons ofícios das autoridades galegas para que a viatura fosse desbloqueada, sem que tenha sido passada qualquer multa". Enquanto o motorista tratava das formalidades legais para ultrapassar todo este imbróglio, o ministro Amílcar Theias aguardava bastante "impaciente". Segundo a assessora do ministro das Cidades, Natália Carvalho, o incidente resolveu-se da melhor forma e sem agitações maiores.
Ver comentários