Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Caso da Lota vai a tribunal

Vai mesmo ser julgada a queixa por difamação do ex-presidente da Câmara de Matosinhos, Narciso Miranda, contra o funcionário e militante do PS Domingos Ferreira, na sequência dos acontecimentos na Lota de Matosinhos.
13 de Janeiro de 2006 às 00:43
O caso, ocorrido a 9 de Junho de 2004, na campanha para as europeias, culminou na morte de Sousa Franco.
A decisão da juíza Lígia Trovão, após debate instrutório pedido pelo advogado de Domingos Ferreira, acompanha a queixa de Narciso, de atentado à honra e consideração. Ferreira, um dos responsáveis logísticos da campanha de Mário Soares, acusou Narciso de ser o culpado do que aconteceu e de ter contratado “capangas”.
Recorde-se que o PS nomeou na altura uma comissão interna para investigar os acontecimentos, presidida por Almeida Santos, que considerou Manuel Seabra, ex-n.º 2 de Narciso na Câmara, como principal culpado. O parecer era de que Seabra e Narciso não deviam ser candidatos às autárquicas de Outubro passado. A comissão pedia ainda processos disciplinares a Ferreira, como militante e funcionário, mas os órgãos jurisdicionais do PS nunca lhe deram seguimento.
Narciso Miranda, que está a escrever um livro sobre os incidentes, afirmou ao CM ser “muito cedo para falar” sobre o assunto.
Já o processo que Manuel Seabra interpôs contra Narciso, baseado em notícias da Imprensa em que se afirmava que este é que tinha a culpa do caso, foi arquivado pelo Ministério Público.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)