Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Cavaco apela ao investimento de empresários privados

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, considerou este sábado que desde 1974 "nunca o País precisou tanto do contributo dos empresários privados portugueses para vencer a crise", apelando ao "investimentos e a parcerias competitivas" e à aposta no "mercado global".
22 de Maio de 2010 às 15:43
Cavaco Silva
Cavaco Silva FOTO: Estela Silva/Lusa

O Chefe de Estado, que falava no final de uma reunião com empresários do Norte, na Exponor, afirmou que é destes empresários que 'poderá vir a força acrescida da exportação de bens e serviços, a modernização da nossa economia, a inovação e a capacidade de penetração nos mercados externos'. 

 

'O País enfrenta uma escassez de recursos financeiros e um preço que tende a aumentar e por isso temos que valorizar a cultura empresarial', realçou Cavaco Silva, acrescentando que 'são os empresários privados portugueses que podem neste momento fazer um esforço acrescido'.  

 

O Presidente da República apelou 'para que apesar da situação os empresários não deixem de fazer os investimentos e as parcerias competitivas”.

 

Em declarações aos jornalistas, Cavaco Silva que é necessário “procurar, eventualmente fora da Europa, os mercados onde podem colocar os seus produtos, apostando na qualidade, na inovação, no fazer bem mas  acima de tudo utilizando as capacidades de penetração no mercado global. Existem oportunidades no mercado global'.

 

O Presidente garante ainda ter aprendido 'mais sobre a situação do tecido produtivo do Norte do país'.  

 

Já António Barros, presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP), disse que o Presidente da República veio 'lançar um desafio', desafio para o qual os empresários têm 'capacidade, força e possibilidade' para responder. 

 

'É muito importante que o Chefe de Estado tenha reconhecido que a resposta à situação actual passa por um novo protagonismo e uma nova dimensão dos empresários privados portugueses. Mesmo com as medidas difíceis que vamos ter que enfrentar, nós não vamos desistir, não vamos baixar os braços', garantiu António Barros.  

 

Em resposta a Cavaco Silva, o presidente da AEP avanço que serão estabelecidas 'parcerias destinadas a aumentar a dimensão das empresas, aumentar as possibilidades das empresas se dirigirem e concorrerem ao mercado global'.  

 

'E vamos igualmente concentrar a atenção em sectores até agora menos  olhados. O caso do sector da agroindústria e do mar', acrescentou António Barros. 

 

O encontro entre Cavaco Silva e os 56 empresários do Norte em Matosinhos durou cerca de duas horas, durante as quais foi debatida a situação actual de Portugal e a forma como a região pode contribuir para ultrapassar a crise.   

Ver comentários