Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Cavaco converge com Abdullah II

Uma nova fase do relacionamento entre Portugal e a Jordânia, dois acordos, um de promoção e protecção recíproca de investimento, outro na área das energias renováveis, marcam a visita oficial de dois dias dos reis das Jordânia a Portugal. O conflito israelo-palestiniano também foi ontem abordado com o Presidente da República, Cavaco Silva, que classificou a sua resolução de importância estratégica.
17 de Março de 2009 às 00:30
O Presidente da República, Cavaco Silva, com o rei Abdullah II na revista à Guarda de Honra
O Presidente da República, Cavaco Silva, com o rei Abdullah II na revista à Guarda de Honra FOTO: Miguel A. Lopes/Lusa

Mas, se o plano institucional e económico dominaram os encontros bilaterais ao mais alto nível, as atenções da visita foram todas para a rainha Rania, que recebeu o prémio Norte-Sul do Conselho da Europa, a par do ex-Chefe de Estado, Jorge Sampaio.

Num discurso em que falou dos descobrimentos portugueses, a rainha, declarou: "O Ocidente e o Oriente concordam que é preciso fortalecer a relação entre os dois, mas ambos acreditam que o outro lado não pensa da mesma forma. É uma questão de confiança."

Pela manhã, Cavaco Silva falou de "uma nova fase no relacionamento" entre os dois países. E o rei Abdullah II declarou que a visita serve para criar uma "nova ponte de entendimento.

SALDO COMERCIAL FAVORÁVEL

As trocas comerciais entre Portugal e a Jordânia têm um saldo favorável para Portugal de 23,4 milhões de euros em 2008, praticamente o dobro do valor registado em 2007: 12,2 milhões de euros.

As empresas portuguesas que se destacam nas relações com a Jordânia são a Efacec, Martifer (energias renováveis), Alert – Life Sciences Computing (tecnologias de informação e comunicação), Reditus (serviços), Marmoz – Companhia Industrial de Mármores de Estarreja, o Grupo Soares da Costa (construção) e a Riopele. Hoje são assinados protocolos na área do investimento e o primeiro-ministro recebe o rei Abdullah II.

PORMENORES

CONFLITO

O rei Abdullah II espera que a "amizade" entre Portugal e a Jordânia possa estreitar "laços" entre a Europa e o Médio Oriente, lembrando que o conflito israelo-palestiniano "continua a ser uma das maiores ameaças à segurança global".

TOLERÂNCIA

Cavaco Silva classificou a Jordânia de país "tolerante e estável".

CALOR

Entre flashes e discursos na Sala do Senado, do Parlamento, sofreu-se com o calor.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)