Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Cavaco promulga lei sobre Procriação Medicamente Assistida

O Presidente da República, Cavaco Silva, promulgou esta terça-feira a lei sobre Procriação Medicamente Assistida e enviou uma mensagem à Assembleia da República para explicar a sua decisão.
11 de Julho de 2006 às 12:23
Cavaco Silva afirma que não encontrou "especiais razões de mérito" para vetar e pedir uma reapreciação do diploma, mas chama a atenção para duas questões: a necessidade de regulação complementar da lei e para as condições de independência da composição do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida.
O Chefe de Estado adverte para "a necessidade de regulação complementar no domínio da protecção efectiva da vida humana embrionária - um imperativo tanto mais relevante quanto se dá o caso de o objecto do diploma transcender o âmbito restrito da procriação medicamente assistida".
Relativamente à composição e condições de funcionamento do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida, é necessário "garantir a independência, multidisciplinaridade e pluralismo dos seus membros, a transparência dos seus procedimentos", afirma Cavaco Silva.
A lei sobre a Procriação Medicamente Assistida foi aprovada em Maio pelo PS, PCP, Bloco de Esquerda e oito deputados do PSD. Votaram contra o CDS e a restante bancada do PSD.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)