Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

Cavaco quer mais rigor

O Presidente da República considerou ontem que Portugal “tem de viver com o dinheiro que tem, sem contar com empréstimos” e utilizá-lo bem a favor das populações, para que o País deixe de ser notícia internacional por violação das regras orçamentais comunitárias. Cavaco Silva falava à margem de uma cerimónia de homenagem a cerca de 300 autarcas de Albufeira, no Algarve.
21 de Agosto de 2007 às 00:00
Cavaco Silva participou em cerimónia de homenagem a autarcas de Albufeira
Cavaco Silva participou em cerimónia de homenagem a autarcas de Albufeira FOTO: Luís Forra / Lusa
Cavaco Silva lembrou que “é sabido que Portugal tem um problema orçamental e deve corrigi-lo o mais depressa possível”. E acrescentou que “é preciso gerir com muita eficiência e rigor os recursos disponíveis”.
O Presidente da República apelou ainda à necessidade de Portugal “cuidar da competitividade”, ao nível turístico, o que passa, acrescentou, “pela qualidade e requalificação”.
“Tenho insistido muito no ordenamento territorial e qualidade ambiental”, sublinhou Cavaco Silva, afirmando que o Algarve tem as condições naturais para atrair turistas. Esta não é, contudo, condição suficiente, considerou o Presidente da República. “É preciso complementar com uma política correcta de ordenamento territorial, defesa ambiental e qualidade do meio urbanístico”, sustentou.
“Há 20 anos, a preocupação era mais quantidade, mas hoje a preocupação deve ser qualidade, qualidade, qualidade”, insistiu.
Durante o discurso no âmbito da cerimónia de homenagem aos autarcas de Albufeira, Cavaco Silva elogiou o poder local mas teceu algumas críticas. “O balanço global de 30 anos de poder autárquico é muito positivo, mas é preciso mais cuidados com o ordenamento do território e a qualidade de investimentos”, frisou.
O Presidente da República participou na cerimónia de homenagem a todos os autarcas eleitos, nas diversas listas partidárias, desde as primeiras eleições após o 25 de Abril para aquele município, no dia em que foi atribuído o foral à vila e que é feriado municipal.
"DEVE SER A DESPESA A SALVAR O DÉFICE"
Em reacção às declarações do Presidente da República, Miguel Frasquilho, economista e líder parlamentar do PSD, afirma que está “completamente de acordo” com Cavaco Silva quando diz que o problema orçamental tem que se resolver o mais rápido possível.
“As declarações do Presidente da República revelam bom-senso, fazem todo o sentido”, considera Miguel Frasquilho, chamando, porém, a atenção para o facto de o problema orçamental ter de “ser resolvido pela via da despesa e não da receita”. Afinal, diz, “o que se verifica mais uma vez é que é a receita que está a salvar o défice”. O que na opinião do economista “é um erro em que este Governo tem persistido cometer”. “O défice pode até reduzir mas através do caminho errado”, conclui o líder parlamentar social-democrata.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)