Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

CDS diz que "não impôs nomes ou coligações com o PSD” na corrida às câmaras

Líder do Marco de Canaveses, Carlos Pinheiro, diz que “a nacional está a mentir”.
Salomé Pinto 24 de Julho de 2021 às 09:46
Francisco Rodrigues dos Santos
Francisco Rodrigues dos Santos FOTO: Rodrigues Antunes/Lusa
A direção do CDS, liderada por Francisco Rodrigues dos Santos, afirmou que “não impôs nomes ou coligações com o PSD” na corrida às câmaras do Marco de Canaveses, Resende e Coimbra, desmentindo as acusações das concelhias.

Mas, ao CM, o líder do Marco de Canaveses, Carlos Pinheiro, diz que “a nacional está a mentir”. “A estrutura local só aceitaria uma coligação se pudesse indicar o número dois da lista à câmara, o que não aconteceu”, explica o líder concelhio, acrescentando que tinham sugerido “Mário Nazário da Costa e a nacional impôs Mário Monteiro, escolhido pelo PSD”.

Em Resende, o coordenador autárquico nacional, Fernando Barbosa, assegura que “deu liberdade para avançar com uma lista própria”, já que foi rejeitada uma coligação com o PSD. Mas a concelhia não apresentou candidatura, porque, “depois de enviar email à nacional com propostas de listas, nunca recebeu resposta”, afiança o líder da concelhia, Jorge Cardoso.

Em Coimbra, “o apoio ao independente José Manuel Silva foi assinado pelo líder da concelhia, pelo que a nacional a considerou válida”, embora o resto da estrutura esteja contra.

Ver comentários