Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

CDS-PP QUER PACOTE GLOBAL DE CONVERGÊNCIA

Qual é o tempo ideal para definir uma coligação nas legislativas de 2006? A pergunta não tem resposta única para o CDS-PP.
24 de Junho de 2004 às 00:00
Figuras como Lobo Xavier defendem que PSD e PP devem defini-la já. O assunto está em aberto e Telmo Correia, líder parlamentar, prefere usar a expressão “timming razoável”, sem, contudo, o explicitar. Razoável, longo ou curto, o prazo de clarificação da convergência dos dois partidos deve começar nas autárquicas de 2005.
Esta é a tese de alguns dirigentes centristas que analisaram o assunto na Comissão Política Nacional do partido, terça-feira à noite.
Os argumentos para este diagnóstico são vários. As autárquicas inauguram um novo ciclo político e não faria sentido definir uma coligação pré ou pós-eleitoral para as legislativas depois destas eleições. “Não é em seis meses que um partido redefine políticas para o seu eleitorado”, afirmou ao CM um dirigente do CDS. Assim, o partido espera que o PSD prepare a sua estratégia para uma convergência (ou não) global. Afinal, a seguir às autárquicas haverá eleições presidenciais e legislativas.
Porém, a tese oficial é a de que o PP “não tem medo” de disputar eleições sozinho e a prova está na “manutenção de dois eurodeputados”. Contudo, esta leitura das europeias provocou mal-estar no PSD. “Penso que estas declarações vêm numa altura não muito oportuna e que o assunto não deveria ter sido sequer aberto”, afirmou Paulo Teixeira Pinto.
Para dirigentes dos dois partidos as ‘rentrées’ serão decisivas para avaliar o futuro da coligação.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)