Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

CDS questiona “recebimento indevido” de assessor camarário

O líder da bancada parlamentar do CDS-PP pediu esclarecimentos ao Ministério do Trabalho sobre “o alegado recebimento indevido” de mais de 41 mil euros do Instituto e Formação Profissional por um assessor da Câmara de Lisboa.
18 de Novembro de 2010 às 19:05
Pedro Mota Soares deseja saber se Helena André tem conhecimento do caso
Pedro Mota Soares deseja saber se Helena André tem conhecimento do caso FOTO: Duarte Roriz

Pedro Mota Soares, numa pergunta entregue à Assembleia da República, deseja saber se Helena André tem conhecimento do caso e que medidas providenciou para averiguar a ilegalidade da situação.

O político questiona ainda, se se confirmar o caso, se a ministra considera haver boa aplicação dos dinheiros públicos.

De acordo com o jornal ‘Público’, o assessor do PS em causa, de 26 anos e sem formação a nível superior, foi contratado para o gabinete da Modernização Administrativa, Graça Fonseca, com uma remuneração mensal de 3950 líquidos a recibo verde.

“Desde então, o assessor, que estava desempregado, fora funcionário do PS e candidato derrotado à Junta de Freguesia de Belém, acumulou esse vencimento de 41 100 euros de subsídios relacionados com a criação do seu próprio posto de trabalho”, explicou o diário português.

O Instituto do Emprego e Formação Profissional já ordenou uma averiguação interna, admitindo que a restituição dos valores recebidos pelo empresário venha ser ordenada, avançou o jornal.

CDS PS Instituto Emprego Assessor
Ver comentários