Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

CDU acusa "limitação anti-democrática"

O líder do PCP, Jerónimo de Sousa, esteve esta terça-feira na Caixa Geral de Depósitos onde se reuniu com sindicalistas de várias tendências. Mas um almoço com trabalhadores foi anulado. À porta da sede do banco público, o dirigente comunista não poupou critícas à administração da Caixa.
15 de Setembro de 2009 às 14:16
CDU acusa 'limitação anti-democrática'
CDU acusa 'limitação anti-democrática'
Aos jornalistas lamentou o 'veto da administração' e falou mesmo em 'limitação anti-democrática' que inviabilizou a entrada da comunicação social.
 
Segundo Jerónimo o argumento da administração da Caixa baseou-se no período eleitoral, o que não convence a CDU. O líder do PCP estava também disposto a reunir com a administração da Caixa e explicou aos funcionários que o acompanharam que o seu 'camarada Bernardino Soares' esteve num banco privado, falou com trabalhadores e com a própria administração, sem limitações.
 
No final do encontro com sindicalistas, o secretário-geral do PCP defendeu que a Caixa se deve orientar para o apoio às famílias 'e para as micro, pequenas e médias empresas'.
 
À saída ainda foi confrontado por uma cidadã que, em desespero, lhe pediu ajuda para resolver o caso do marido, vítima de acidente de trabalho, em 2007, ao serviço da Câmara de Loures. 'O desespero nem sempre é bom conselheiro, não perca a esperança', pediu Jerónimo, prometendo que o partido iria inteirar-se da situação.
Ver comentários