Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Com sensação de dever cumprido, Juncker pede luta aos "nacionalismos estúpidos"

Juncker considerou que a sua Comissão cumpriu no essencial nas três grandes frentes que elegeu como prioritárias há cinco anos.
Lusa 22 de Outubro de 2019 às 13:46
Juncker
Jean Claude Juncker
Juncker
Jean Claude Juncker
Juncker
Jean Claude Juncker

O presidente cessante da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, admitiu esta terça-feira, perante o Parlamento Europeu, que deixa Bruxelas com o sentimento de dever cumprido e pediu que a Europa "combata com todas as forças os nacionalismos estúpidos".

No discurso de balanço do seu mandato (2014-2019), Juncker considerou que a sua Comissão cumpriu no essencial nas três grandes frentes que elegeu como prioritárias há cinco anos - o crescimento, o emprego e o investimento -, e lamentou que não tenha sido possível ir mais longe noutros domínios, como na política de refugiados ou na união bancária, apontando o dedo à falta de esforço dos Estados-membros.

Naquele que terá sido o seu último discurso no hemiciclo de Estrasburgo -- ainda que a atual Comissão deva prolongar o seu mandato por um mês, até 30 de novembro, face ao impasse na formação da 'Comissão Von der Leyen' -, Juncker considerou que não há motivos para demasiadas celebrações, mas admitiu "orgulho" com o esforço da sua equipa -- "se todos se esforçassem do mesmo modo, estaríamos melhor", observou - e por ter dado o seu "pequeno contributo" para o projeto europeu.

Bruxelas Parlamento Europeu Jean-Claude Juncker Comissão Europeia Europa política parlamento
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)