Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Computadores para meio milhão

No próximo ano lectivo meio milhão de portugueses (estudantes, professores e trabalhadores em formação) terão a garantia de acesso a um computador, bem como à internet de banda larga, a preços reduzidos. A promessa foi ontem dada pelo primeiro-ministro no debate mensal agendado sob o tema ‘Acesso às Tecnologias de Informação e Competitividade’.
1 de Junho de 2007 às 00:00
Primeiro-ministro anuncia projecto que garante computador e banda larga a 240 mil estudantes daqui a três anos
Primeiro-ministro anuncia projecto que garante computador e banda larga a 240 mil estudantes daqui a três anos FOTO: João Relvas, Lusa
Sócrates anunciou aquele que denominou de “um dos programas mais ambiciosos do Plano Tecnológico” que pretende “garantir a todos os portugueses o acesso aos benefícios da sociedade de informação”. Graças a esta medida, a partir de Setembro todos os estudantes inscritos no 10.º ano terão acesso a um computador e à ligação em banda larga, cujo preço será estabelecido em função do rendimento do agregado familiar. Segundo Sócrates, o projecto permitirá que nos próximos três anos sejam abrangidos 240 mil estudantes, divididos em três escalões.
O primeiro abrange alunos beneficiários da Acção Social Escola, para os quais o computador portátil será fornecido sem pagamento inicial e a banda larga custará cinco euros por mês durante três anos. O segundo escalão, que se dirige a alunos de agregados familiares com baixos rendimentos, prevê a entrega do portátil sem pagamento inicial e mensalidade será de 15 euros. Os restantes alunos terão acesso a um portátil por 150 euros e pagarão pela internet banda larga menos cinco euros do que os preços do mercado.
A medida estende-se também a professores do Básico e Secundário e a pessoas inscritas no Programa Novas Oportunidades.
O novo aeroporto de Lisboa foi o segundo tema do debate e motivou uma troca acesa de palavras entre Sócrates e o líder do PSD. “Se fosse possível manter a Portela essa era desejavelmente a solução. O problema é que isso não é possível”, disse Sócrates, invocando as conclusões de especialistas.
Numa das intervenções do PCP, o líder, Jerónimo de Sousa, questionou Sócrates sobre se “o Governo vai avançar com uma nova contribuição compulsiva, um novo imposto” na Saúde e retirar as taxas de isenção às crianças”. O primeiro-ministro respondeu; “Não, não. Isso não está nas intenções do Governo, não o vamos fazer”, chocando assim com as palavras do ministro Correia de Campos, que há cerca de duas semanas apontou para a possibilidade de acabar a isenção de taxas moderadoras para todas as crianças até aos 12 anos.
MEDIDAS
COMPUTADORES
Alguns alunos que se inscreverem no próximo ano lectivo no 10.º terão acesso a um computador portátil pelo valor de 150 euros.
INTERNET
Durante três anos os estudantes carenciados terão acesso à banda larga por 5 euros por mês.
OTA/PORTELA
José Sócrates recusou ontem manter o aeroporto da Portela, pois seria “duplicar custos de operação”.
SAÚDE
As taxas de isenção às crianças até aos 12 anos não serão retiradas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)