Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Conheça as relações familiares dos membros do Governo

Elenco socialista tem pais e filhos, casais e primos.
Daniela Santos Jorge e Catarina Figueiredo 13 de Dezembro de 2017 às 13:23
Eduardo Cabrita
António Costa
António Costa
Viera da Silva, ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
Sónia Fertuzinhos, vice-presidente da bancada socialista
Sónia Fertuzinhos
Rosa Zorrinho, na posse como secretária de Estado da Saúde
Rosa Zorrinho, na posse como secretária de Estado da Saúde
Carlos Zorrinho
Eduardo Cabrita
António Costa
António Costa
Viera da Silva, ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
Sónia Fertuzinhos, vice-presidente da bancada socialista
Sónia Fertuzinhos
Rosa Zorrinho, na posse como secretária de Estado da Saúde
Rosa Zorrinho, na posse como secretária de Estado da Saúde
Carlos Zorrinho
Eduardo Cabrita
António Costa
António Costa
Viera da Silva, ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
Sónia Fertuzinhos, vice-presidente da bancada socialista
Sónia Fertuzinhos
Rosa Zorrinho, na posse como secretária de Estado da Saúde
Rosa Zorrinho, na posse como secretária de Estado da Saúde
Carlos Zorrinho

No Governo socialista existe uma série de relações íntimas e familiares entre ministros, deputados, secretários de Estado e ex-governantes. Há um pouco de tudo, desde um ministro casado com uma ministra, a uma secretária de Estado que é filha de um ministro. Além dos amigos de António Costa. A nomeação de Rosa Matos Zorrinho para secretária de Estado da Saúde é um dos exemplos destas relações.  

Rosa Matos Zorrinho é casada com Carlos Zorrinho, atual eurodeputado e ex-governante do PS. Este facto não é excecional, de todo. Por exemplo, a atual ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, é casada com Vital Moreira, antigo deputado e partidário socialista.

O atual ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, é marido de Sónia Fertuzinhos, deputada socialista e, curiosamente, os dois estão no centro do escândalo que se gerou em torna da Raríssimas – Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras – e levou à demissão de Manuel Delgado, ex-secretário de Estado da Saúde, imediatamente sucedido por Zorrinho no final da tarde de terça-feira.

Vieira da Silva está envolto na polémica por ter sido vice-presidente da assembleia geral da Raríssimas (entre 2013 e 2015) e, já a exercer as funções de ministro, ter recebido denúncias sobre práticas de gestão danosa na Raríssimas (o ministro assegura que foram apenas queixas sobre "incumprimento dos estatutos"). Em relação a Fertuzinhos, está em causa uma viagem que fez à Suécia em 2016, para participar numa conferência, e cujas despesas foram suportadas pela Raríssimas (a deputada garante que a associação foi posteriormente reembolsada).

Vieria da Silva tem ainda uma relação familiar com outro membro do Governo socialista: a filha Mariana Viera da Silva exerce o cargo de secretária de Estado Adjunta do primeiro-ministro.

Outra ligação é a de Guilherme Waldemar d’Oliveira Martins, secretário de Estado das Infraestruturas, que é filho de Guilherme d’Oliveira Martins, ex-governante do PS, ex-presidente do Tribunal de Contas e atual administrador da Fundação Calouste Gulbenkian. Acrescenta-se ainda o caso do secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, que é primo de António José Seguro, ex-governante e ex-líder dos socialistas.

Para além dos casais formados entre governantes e deputados ou eurodeputados do PS, é importante evidenciar outro casal formado entre dois governantes: o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino.

Quanto a Cabrita, é público que também faz parte do círculo de amigos mais próximos do primeiro-ministro António Costa. Assim como o recém-nomeado ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira. Entre outros exemplos. 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)