Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Consultor diz que houve falsas contrapartidas

Miguel Nuno Horta e Costa, consultor que trabalhou para a Escom – intermediária do grupo Espírito Santo no negócio dos submarinos – admitiu ontem em tribunal que foram facturadas falsas contrapartidas pelos alemães da Man Ferrostaal. Um depoimento que corrigiu no final da sessão.
27 de Novembro de 2012 às 01:00
Nuno Godinho de Matos é advogado dos alemães no processo
Nuno Godinho de Matos é advogado dos alemães no processo FOTO: Vasco Neves

Confrontado pelo Ministério Público com uma acta onde dizia que a única função da Acecia (grupo de empresas do sector automóvel envolvida no caso) era "vender facturas a coberto de contrapartidas". Horta e Costa disse: "A minha posição era essa e continua a ser." À tarde, aos juízes afirmou ter-se "expressado mal" quando sublinhou que os alemães procuraram "soluções baratas" para contrapartidas.

CONSULTOR SUBMARINOS ESCOM CONTRAPARTIDAS JULGAMENTO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)