Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

Contratos pagam luvas

António Figueiredo, líder do IRN, só esta segunda-feira vai responder às perguntas do juiz sobre subornos milionários.
Eduardo Dâmaso(eduardodamaso@sabado.cofina.pt), Henrique Machado e Tânia Laranjo 17 de Novembro de 2014 às 14:57
Arguida foi levada pelos inspetores da Judiciária
Arguida foi levada pelos inspetores da Judiciária FOTO: Sérgio Lemos

As luvas de milhões pagas pelos cidadãos extracomunitários que queriam vistos gold eram muitas vezes negociadas através de contratos-promessa de imóveis. O Correio da Manhã sabe que o procedimento – liderado por António Figueiredo – era simples. Além dos imóveis inflacionados, havia depois contratos-promessa que eram quebrados apenas para dar origem a indemnizações. Assim, os clientes dos vistos gold conseguiam fazer sair das suas contas elevadas quantias de forma lícita.

As autoridades estão a fazer um levantamento desses contratos-promessa quebrados, e os mesmos foram apreendidos nas várias imobiliárias onde se realizaram buscas. Poderão ser relevantes para quantificar o valor dos subornos, que se estima tenham sido de milhões.

Ontem, no Tribunal Central de Instrução Criminal, continuaram os interrogatórios. Desconhece-se o conteúdo dos mesmos, sabe-se apenas que não terminaram. António Figueiredo, considerado pela investigação como líder do grupo, só hoje deverá ser interrogado. Ficou para o fim por uma questão estratégica da investigação. O Ministério Público pretendia que outros arguidos falassem antes do principal arguido, de forma a conseguir obter mais provas da sua responsabilidade no esquema.

O CM sabe que é contra o presidente do Instituto dos Registos e Notariado – que está a ser defendido pelo advogado Rui Patrício – que existem mais elementos de prova.

Também Maria Antónia Anes, secretária-geral da Administração da Justiça, será das últimas a serem interrogadas. Igualmente pelo mesmo motivo: o seu papel no esquema criminoso era considerado preponderante.

Jaime Couto Aves, ex-sócio do ministro Miguel Macedo, também não foi ainda ouvido pelo juiz.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)