Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

Costa admite tensão com Marcelo mas diz ter "nervos de aço"

Primeiro-ministro diz que espera retomar o "excelente esforço de cooperação institucional".
27 de Outubro de 2017 às 17:28
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande
António Costa visita obras de recuperação de casas na zona de Pedrógão Grande

António Costa falou esta sexta-feira pela primeira vez da crispação entre o Governo e o Presidente da República por causa do discurso de Marcelo Rebelo de Sousa sobre os incêndios que mataram 45 pessoas a 15 de outubro.

Sem negar a tensão entre Belém e São Bento António Costa diz esperar que a boa relação institucional seja retomada rapidamente.

"Tenho nervos de aço e sou um optimista, às vezes irritante, mas sempre optimista. Tenho a certeza de que vamos retomar todos e prosseguir o que os portugueses têm apreciado muito, por parte do Presidente da República, da Assembleia da República, da parte do Governo, que é um excelente esforço de cooperação institucional."

O primeiro-ministro negou qualquer "abalo" na relação com o Presidente da República e mostrou-se otimista de que a "cooperação exemplar" vai manter-se.


Ver comentários