Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

D. José Policarpo pede mais qualidade nos partidos

O cardeal-patriarca de Lisboa defende mais qualidade no interior dos partidos políticos. Em entrevista à ‘Visão’, D. José Policarpo diz sentir o País “muito retalhado em antagonismos” e questiona o facto de a Constituição prever que “só os partidos tenham acesso ao poder, o direito de governar”.
7 de Janeiro de 2005 às 00:00
“A minha preocupação é a de saber se eles (partidos) têm hoje algo de novo para oferecer, para uma etapa nova da nossa vida”, diz o cardeal-patriarca depois de afirmar que os portugueses têm de “encontrar grandes objectivos colectivos em que toda a gente possa convergir”. O prelado apresenta “o aprofundamento da qualidade dentro dos próprios partidos” políticos como alternativa à exclusividade dos partidos para a condução das políticas governativas. “Será justo que alguém competente, que tenha algo para dar ao seu país, seja obrigado a aderir a um partido para o poder fazer?” pergunta ainda D. José Policarpo.
O cardeal-patriarca volta a dizer que “por motivos éticos, de respeito pela vida humana” a Igreja é contra o aborto. D. José Policarpo refere também que a Igreja não se pronuncia sobre a ordem jurídica relativa à interrupção voluntária da gravidez, lembrando, no entanto, que “quando se fala de despenalização, fala-se de legalização”, situação a que se opõe “completamente”.
Ver comentários