Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

É BOM TER AUTARCAS A GOVERNAR

Fernando Ruas, presidente da Associação Nacional de Municípios (ANMP) e da Câmara de Viseu, é contra a realização de eleições antecipadas não só porque na Assembleia da República “há uma maioria estável” mas porque o acto eleitoral iria, em ano de eleições autárquicas, criar problemas orçamentais aos municípios.
5 de Julho de 2004 às 00:00
Correio da Manhã – Em seu entender qual seria a saída para actual crise política. Indigitação de novo primeiro-ministro ou eleições antecipadas?
Fernando Ruas – Numa opinião estritamente pessoal, porque não reuni o órgão da ANMP, refiro que os períodos de instabilidade não são bons para ninguém, muito menos para os municípios. Se houver um período de instabilidade que leve a eleições antecipadas, vai implicar que só tenhamos orçamento lá para Abril do próximo ano. Assim, as câmaras não vão saber como vão fazer os seus orçamentos.
– Vai haver grande indefinição?
– Ainda por cima vamos ter eleições autárquicas em Outubro de 2005. É óbvio que, em minha opinião, esse cenário tem consequências negativas a nível orçamental. Eleições antecipadas não serão positivas para os municípios. No plano político não faz sentido haver eleições quando na Assembleia da República há uma maioria.
– Não acha que os autarcas também deveriam ser ouvidos pelo Presidente da República?
– O Presidente da República tem toda a legitimidade para ouvir quem quiser, e portanto nunca nós nos poríamos em bicos de pés para dizer ‘calma lá que nós estamos aqui’. Agora é assim, a realidade das autarquias é muito importante. Tudo o que acontecer no País terá reflexo nas autarquias, mas não vou fazer juízo de valor.
– Estava optimista para a segunda metade do governo de Durão Barroso…
– Sem dúvida. Durante muito tempo foi-nos dito que era preciso rigor e contenção. Foi conhecida a nossa discordância pública de algumas medidas tomadas pela titular das Finanças, mas sempre no pressuposto que a partir de agora iríamos ter alguma folga. Era disso que estávamos à espera.
– Os autarcas ficarão satisfeitos com Santana Lopes como primeiro-ministro?
– É sempre bom para nós termos autarcas a governar, é um bom pronúncio. O que falta muitas vezes aos nossos governantes é doses de pragmatismo, que se adquire andando e batalhando no terreno. Desse ponto de vista, Santana Lopes dá-me essa garantia. Durante algum tempo discordava de Santana Lopes porque, para mim, ele precisava de passar pelo crivo das urnas. Já teve algumas ‘provas de fogo’...
– Se Santana Lopes o convidar para ministro, aceita?
– …Eu gosto muito de ser autarca, já desprezei uma série de coisas porque me sinto bem onde estou. Estou a desempenhar um cargo que é tão importante como estar no Governo...
'INVEJOSOS NÃO GOSTARAM'
Para Fernando Ruas, a nomeação de Durão Barroso para presidente da Comissão Europeia (CE) “é um orgulho para o País”. “Só com o objectivo de tirar dividendos político-partidários, ou por inveja que também é uma cultura muito portuguesa, é que alguém pode dizer que o cargo não é de prestígio, não é bom para Portugal. Nos próximos 100 anos não voltamos a ter um português à frente da CE”, disse Ruas. O líder dos autarcas refere que o governo ‘barrosista’ foi “um governo reformista. Foram dois anos difíceis mas de grande impor- tância para o País.”
PERFIL
Fernando de Carvalho Ruas, 55 anos, é natural de Farminhão, em Viseu. É casado e tem dois filhos. É presidente da Câmara Municipal de Viseu desde 1990, tendo ocupado o cargo de líder da Associação Nacional dos Municípios Portugueses, em Abril de 2002. Já foi deputado na Assembleia da República, membro da Conferência Permanente dos Poderes Locais e Regionais da Europa e é vice-presidente da Mesa do Congresso do PSD.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)