Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

"Eleições presidenciais ganham-se ao centro"

António Vitorino afirmou esta segunda-feira na RTP que não está convencido de que a candidatura presidencial de Manuel Alegre seja suficientemente transversal ou abrangente para ganhar votos ao centro.
18 de Janeiro de 2010 às 23:26
António Vitorino
António Vitorino FOTO: d.r.
"É possível que haja uma candidatura que derrote o professor Cavaco Silva oriunda da esquerda, mas essa candidatura não pode confinar-se a ser uma candidatura de esquerda", começou por avisar o dirigente socialista, antes de recordar que "historicamente ganha as eleições presidenciais quem ganhar o centro".
Quanto ao perfil de Manuel Alegre, Vitorino registou que tem sido ambíguo sobre matérias que envolvem a construção europeia. Mais, em seu entender, "não é por se falar muito da pátria que se tem uma candidatura transversal ou que se consegue ganhar votos no eleitorado que oscila entre PS e PSD".
Vitorino sublinha ainda que o timming escolhido por Manuel Alegre para se mostrar disponível, novamente, para o combate político na corrida a Belém apressou o calendário interno no PS.
Vitorino sustentou que o PS só se devia debruçar sobre o tema no final do primeiro trimestre de 2010, mas agora, não haverá muito espaço para adiar o tema.
A candidatura de Alegre começa a dividir opiniões dentro do PS e Vitorino usou esta, segunda-feira, o mesmo argumento de forma consecutiva (já o tinha feito no programa Notas Soltas da semana passada), sobre os riscos da candidatura do ex-deputado e poeta: as dificuldades em conseguir conquistar eleitorado ao centro, crucial para uma vitória numas eleições que podem ser muito disputadas.
Ver comentários