Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

ENTRE O ORGULHO E A VERGONHA

“Lamento a violência mas não aceito que os incidentes desmoralizem o nosso apoio a Fátima Felgueiras”, diz Bernardino Silva, por todos conhecidos em Felgueiras como o “Pai dos Pobres”, que aos 80 anos desfruta do prestígio de velho republicano e militante socialista.
18 de Maio de 2003 às 01:27
Bernardino Silva, o Pai dos Pobres, dividido entre Fátima e o PS
Bernardino Silva, o Pai dos Pobres, dividido entre Fátima e o PS FOTO: Luís Lopes
O seu Peugeot 106 está pejado de panfletos de apoio à ex-presidente, mas a sua alma está dividida pois entende que “enxovalhar Assis é enxovalhar o PS”. Apesar de tudo, acha que “o Assis é que não devia ter vindo cá”.
Como Bernardino, pensa o comerciante António Soares, de 54 anos, opinando que “Assis não é o dono de Felgueiras”. O motorista Jorge Gonçalves, de 42, diz que “Assis foi inábil em ter vindo neste dia”.
Em contraponto, a postura de Assis durante os incidentes é apreciada pelo bancário Porfírio Correia, de 39, enquanto o estudante Marcelo Teixeira, de 25, estranha que “que os energúmenos que agrediram sejam militantes ou simpatizantes do PS”.
Felgueiras está dividida mas é inegável que a emoção continua a determinar as opiniões.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)