Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Expulsões em Oeiras

Oeiras é o concelho de Oeiras com maior incidência de processo de expulsões de militantes do PSD que concorreram às últimas eleições autárquicas por outras forças políticas. Em causa está a participação desses social-democratas nas listas de Isaltino Morais, vencedor das eleições autárquicas naquele concelho em Outubro.
10 de Março de 2006 às 00:00
Miguel Macedo diz que punição dos militantes vai continuar
Miguel Macedo diz que punição dos militantes vai continuar FOTO: Jorge Paula
Miguel Macedo, secretário-geral do PSD, confirmou ao CM que “foram 182 o número de processos levantados em Oeiras”, sendo que o número total rondará já as três centenas. “Ainda ontem enviámos para o Conselho Juridiscional Nacional mais 39 casos”, afirmou.
Em Oeiras, Isaltino Morais arrastou consigo muitas dezenas de candidatos do partido, da Câmara às juntas de freguesia. Marques Mendes, todavia, não se deixou impressionar com a quantidade de trânsfugas em torno do ex-ministro das Cidades que apostou em regressar ao ser cargo de presidente de Oeiras. A contas com a Justiça, acusado de corrupção passiva e branqueamento de capitais, num processo que voltou à estaca zero, quando o Tribunal Central de Instrução Criminal decidiu anular a acusação produzida contra Isaltino – porque o Ministério Público não ouviu um dos arguidos na fase de inquérito, o promotor imobiliário João Algarvio –, Isaltino Morais prosseguiu indiferente às ameaças, mas vê agora muitos dos seus correligionários alvo da expulsão do partido.
Os processos relativos aos militantes do Norte, candidatos do Porto, Valongo ou Gaia, seguiram apenas no final de Janeiro do Porto para Lisboa. Miguel Macedo considerou também de “absurdas” as críticas vindas de alguns militantes, pondo em causa a representatividade do congresso e a falta de discussão prévia das matérias que ali vão ser postas à consideração dos militantes do partido.
"RECUSO IDEIAS DE FACILITISMO" (Miguel Relvas, ex-secretário-geral)
Correio da Manhã – As ‘directas’ dão mais legitimidade aos líderes?
Miguel Relvas – Nem legitimidade nem autoridade. Não sou adepto da democracia referendária e não tenho qualquer complexo com isso. Sempre o disse e defendi em anteriores congressos. Cavaco Silva foi presidente do PSD através de ‘directas’?
– Não vê vantagens, mas encontra inconvenientes?
– Encontro, porque se faz crer num facilitismo que não existe e nesse sentido não se encaram as dificuldades com a atitude correcta para efectiva mudança.
– O Congresso vai provavelmente optar por essa alteração estatutária.
– Sem dúvida. Existem oito moções e só a da JSD é contra as ‘directas’. O que não deixa de me causar alguma estranheza. O dr. Marques Mendes, todavia, está a ser coerente, limita-se a cumprir o que prometeu.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)