Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Falta mediação entre polícias e moradores

O Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP) apelou ontem ao Governo para ter em atenção um documento que enviou ao Ministério da Administração Interna, há mais de um ano, que alertava para a necessidade de criar gabinetes de mediação entre polícias e habitantes de bairros sociais problemáticos.
8 de Novembro de 2005 às 00:00
António Ramos, dirigente do Sindicato, afirmou ao Correio da Manhã que a “situação que se vive em França pode alastrar a Portugal”. Tudo porque “não existem gabinetes de mediação que podiam evitar muitos dos problemas registados nos bairros problemáticos”, diz o dirigente sindical.
Segundo o responsável, em Setembro do ano passado o sindicato chegou mesmo a enviar um projecto de intercâmbio com a polícia portuguesa e cabo-verdiana. “O objectivo era trazer polícias de lá para conhecerem os nossos problemas. E elementos da PSP deslocarem-se a Cabo Verde para entenderem a cultura”, disse.
Segundo António Ramos, o projecto foi enviado aos governos português e cabo-verdiano, tendo Cabo Verde mostrado disponibilidade enquanto do Executivo português “não houve qualquer resposta”.
De acordo com as propostas do sindicato, e como consequência da criminalidade em bairros sociais, deviam ser criados gabinetes de mediação para “habilitar os profissionais das forças de segurança a administrar conflitos através de técnicas de negociação, mediação, conciliação e arbitragem”, diz o documento.
Os gabinetes funcionariam em cooperação com as associações sedeadas nos bairros problemáticos “que muito têm feito para evitar conflitos”, diz o dirigente.
Ver comentários