Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

FOZ CÔA QUER COBRAR PROMESSAS

A população e os autarcas de Vila Nova de Foz Côa vão hoje confrontar o Presidente da República com o não cumprimento das promessas feitas pelo Governo de António Guterres e nem mesmo a classificação de Património Mundial, minimiza o sentimento de desilusão das pessoas que ali residem.
28 de Outubro de 2002 às 00:52
Entre outras contrapartidas, em 1996, foi prometida a melhoria das estradas - em especial a construção do IP2 -, a construção de um parque arqueológico e de um museu, mas "até agora nem uma pedra foi colocada", desabafa Sotero Ribeiro, presidente da Câmara Municipal, que hoje vai “recordar a Jorge Sampaio que as promessas não estão esquecidas e queremos vê-las cumpridas".

Para além de Vila Nova de Foz Côa, Jorge Sampaio visita os concelhos de Figueira de Castelo Rodrigo e Mêda, numa zona de fronteira entre a Beira Alta e Trás-os-Montes. A aldeia histórica de Marialva será o primeiro ponto de paragem do PR, e à espera dele estarão dezenas de populares, essencialmente idosos, que lhe pedirão para interceder na recuperação da antiga vila medieval, que está em ruínas. "Já temos água e luz, agora só queremos que recuperem a vila medieval que está abandonada", disse Edite Almeida, uma das poucas moradoras.

Em Figueira de Castelo Rodrigo, será realçada a preocupação pelo aumento da desertificação, por não haver “estruturas nem empresas para segurar os jovens", disse Armando Lopes, presidente da Câmara.
Ver comentários