Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

FRANCO DEVOLVE PATERNIDADE DO DÉFICE

O cabeça de lista do PS às Eleições Europeias devolveu a paternidade do défice público que lhe foi atribuída por Paulo Portas, líder do CDS-PP e ministro de Estado e da Defesa. Sousa Franco disse que o Governo e a coligação PSD / CDS-PP são “o pai e a mãe” do défice das contas públicas e da crise económica.
4 de Junho de 2004 às 10:05
Num discurso no Cartaxo, ontem à noite, Sousa Franco apresentou um discurso inflamado, no qual devolveu à coligação adversária a fórmula utilizada por esta contra a sua própria pessoa. “Perguntam-me quem é o responsável pelo crescente défice das contas públicas e pela crise económica. Respondo que o pai do crescente défice das contas públicas e da crise económica é o Governo e a mãe a coligação PSD / CDS-PP”, declarou Sousa Franco.
O candidato socialista insistiu nesta nova linha de ataque, referindo que o Governo e a coligação PSD / CDS-PP são o pai e a mãe de vários défices, nomeadamente económico, social, de confiança, do emprego, do investimento, do crescimento económico, da cultura, da decisão ao nível da construção de infra-estrutura, da política democrática, da paz, da mercantilização da Saúde, da segurança e da educação. Palavras que recolheram muitos aplausos dos presentes.
Com um notório vigor neste comício, Sousa Franco ‘disparou’ também na direcção do PCP, declarando que o projecto dos comunistas para a Europa “é tão fechado como o da direita soberanista”. O candidato do PS chegou ao ponto de dizer que o projecto do PCP “é igual ao do CDS-PP”, considerando que este partido “está eurocalmo para não atrapalhar o PSD, mas (que) o PSD sabe bem que o CDS-PP só atrapalha”. Para Franco, PCP e CDS-PP seguem um “soberanismo provinciano” semelhante.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)