Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

“Gastamos 30 mil euros por mês em transportes”

Máximo Ferreira, Presidente da Câmara de Constância, fala sobre o encerramento da ponte rodoviária sobre o rio Tejo.
26 de Outubro de 2010 às 00:30
Tejo, Ponte, Constância, Máximo Ferreira
Tejo, Ponte, Constância, Máximo Ferreira FOTO: DR

Correio da Manhã – Quando é que se fica a saber o futuro da ponte rodoviária sobre o Tejo?

Máximo Ferreira – O que ficou acordado com o Ministério das Obras Públicas é que até ao final deste mês seria tomada uma decisão, após as inspecções.

– Os dados recolhidos até agora apontam para que solução?

– O ideal seria uma ponte nova, mas as condições actuais não nos permitem sonhar com isso. Tudo indica que os dados recolhidos pelos técnicos apontem para que a ponte possa funcionar apenas com veículos ligeiros. Mas vamos aguardar pelas conclusões.

– Além dos incómodos para a população, o encerramento da travessia tem tido custos elevados para a autarquia?

– Sim, gastamos perto de 30 mil euros por mês. Só para assegurar o transporte dos alunos para as escolas, de autocarro e comboio, são 17 mil euros. Depois, temos de contar também com o aumento das despesas com combustíveis das viaturas da Câmara.

– A Câmara Municipal teve de contratar um segundo barqueiro para assegurar a travessia?

– É verdade, fomos obrigados a contratar outro barqueiro para garantir a ligação fluvial durante 19 horas por dia.

– Têm apoio para fazer face às despesas extraordinárias?

– Já o pedimos, mas, até ao momento, não recebemos qualquer tipo de apoio. Para um município pequeno como o nosso, tendo em conta os cortes orçamentais, não é nada fácil.

Há prejuízos indirectos?

– Claro. Houve pessoas que deixaram de frequentar as piscinas municipais e os ginásios. Além disso, o comércio e a indústria também têm sido muito prejudicados.

– Espera uma reabertura da ponte para breve?

– Talvez uma reabertura condicionada antes do Natal, mas apenas até ao final do ano, altura em que deveriam começar as obras.

Tejo Ponte Constância Máximo Ferreira
Ver comentários