Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Governo ainda está a ponderar candidatura de Centeno à presidência do Eurogrupo

Candidatura avança se houver "um apoio abrangente e uma ponderação das implicações que isso tem na condução da política económica.
29 de Novembro de 2017 às 15:19
Mário Centeno, ministro das Finanças
Mário Centeno
Mário Centeno, ministro das Finanças português
Mário Centeno, ministro, defendeu ontem as contas do Governo
Mário Centeno, ministro das Finanças
Mário Centeno
Mário Centeno, ministro das Finanças português
Mário Centeno, ministro, defendeu ontem as contas do Governo
Mário Centeno, ministro das Finanças
Mário Centeno
Mário Centeno, ministro das Finanças português
Mário Centeno, ministro, defendeu ontem as contas do Governo
O Governo ainda não decidiu se avança com a candidatura do ministro das Finanças à presidência do Eurogrupo, estando a ponderar os apoios europeus e o impacto que a decisão terá na condução da política de Centeno em Portugal.

"Ainda não está decidido", respondeu o secretário de Estado Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, quando questionado pelos jornalistas pelo processo de candidatura do ministro Mário Centeno à presidência do Eurogrupo (grupo europeu que junta os ministros das Finanças da zona euro), que termina na quinta-feira.

À margem do Fórum Banca, que decorreu esta manhã em Lisboa, Mourinho Félix disse aos jornalistas que a candidatura avança "se estiverem reunidos dois pressupostos: um apoio abrangente, que não quer dizer a certeza que se ganha, e uma ponderação das implicações que isso tem na condução da política económica".

Neste último ponto, o secretário de Estado disse que é importante ponderar uma "divisão entre Bruxelas e Portugal, de forma que se consiga prosseguir o que tem sido feito e que não se perca o foco essencial deste processo de consolidação, da recuperação da economia portuguesa e da estabilização do sistema financeiro".

Questionado sobre se é provável a concretização desses dois pressupostos, Mourinho Félix respondeu: "Existe uma probabilidade de concretização, mas não é uma probabilidade que se possa quantificar de uma forma rigorosa".

Mourinho Félix acrescentou que o Governo está envolvido num conjunto de contactos a nível europeu, recordando que a eleição para a presidência do Eurogrupo envolve 19 votos (dos representantes dos 19 países da zona euro).

"O ministro das Finanças português mostrou disponibilidade para ser candidato caso seja um fator de união e de promoção de aprofundamento da União Económica e Monetária, que será uma parte essencial do mandato do próximo presidente do Eurogrupo. Se houver esse entendimento da parte de um conjunto abrangente de países então há uma ponderação obviamente a fazer", disse.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)