Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

Governo aprova benefícios fiscais a quatro empresas que vão criar 426 empregos

No Conselho de Ministros desta quinta-feira foram aprovadas as minutas referentes aos contratos fiscais de investimento.
Jornal de Negócios 18 de Junho de 2020 às 15:44
Antonio Costa conferencia imprensa apos conselho ministros cov19
Antonio Costa conferencia imprensa apos conselho ministros cov19
São quatro projetos de investimento, que deverão criar 426 postos de trabalho até 2023. No Conselho de Ministros desta quinta-feira, foram aprovadas as minutas referentes aos contratos fiscais de investimento a celebrar entre o Estado Português e quatro empresas. O investimento total rondará os 249 milhões de euros. Além da criação de novos empregos, os contratos prevêem a manutenção dos atuais 736 postos de trabalho.

O primeiro projeto pertence à Kirchhoff Automotive Portugal, que tem fábricas em Ovar e Cucujães, e prevê investir 27,3 milhões de euros e criar 30 postos de trabalho até 31 de dezembro de 2021. 

Já a portuense HILODI – Historic Lodges & Discoveries, S.A., apresentou um projeto que tem um investimento associado de 102,8 milhões de euros. Deverá criar 313 postos de trabalho até 31 de dezembro de 2021. 

Foi ainda assinado um contrato com a MAAP - MA AUTOMOTIVE PORTUGAL, que prevê investir 12,2M milhões de euros, num projeto que deverá resultar na criação de 73 postos de trabalho até 31 de dezembro de 2021. 

O maior dos investimentos pertence à DS SMITH PAPER VIANA, e ascende a 107,5 milhões de euros. Prevê criar 10 postos de trabalho até 31 de dezembro de 2023. 

"Tratando-se de projetos com particular interesse para a economia nacional – representam um investimento global superior a 249 milhões de euros, a criação de 426 novos postos de trabalho até 2023 e a manutenção dos atuais 736 empregos –, são atribuídos às empresas promotoras um crédito a título de imposto sobre o rendimento das pessoas coletivas", lê-se no comunicado do Conselho de Ministros. 


Estado Português Conselho de Ministros Kirchhoff Automotive Portugal economia negócios e finanças
Ver comentários