Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Governo retém verbas para Forças Armadas

Despacho para atribuição de 12,7 milhões de euros foi assinado a 26 de junho, dois dias antes do roubo na base em Tancos.
António Sérgio Azenha 12 de Julho de 2017 às 01:30
Ministério da Defesa, de Azeredo Lopes (à esq.), reteve verbas por um ano. Marcos Perestrello assinou o despacho
Ministério da Defesa, de Azeredo Lopes (à esq.), reteve verbas por um ano. Marcos Perestrello assinou o despacho FOTO: António Contrim / Lusa
O Ministério da Defesa apenas autorizou a transferência de mais de 12,7 milhões de euros para as Forças Armadas (FA), no âmbito da venda de imóveis militares em 2016, no dia 26 de junho, dois dias antes do assalto na base militar em Tancos.

Duas semanas após o roubo do material ao Exército, que levou à exoneração de cinco comandantes e à demissão de dois generais, o Ministério da Defesa garante que o dinheiro será transferido este mês para o Exército, Marinha, Força Aérea e Estado Maior-General das Forças Armadas (EMGFA).

O despacho de distribuição das verbas foi assinado pelo secretário da Defesa, Marcos Perestrello, por competência delegada pelo ministro da Defesa, Azeredo Lopes. No dia em que assinou o despacho, Marcos Perestrello teve uma reunião no Ministério das Finanças onde terá sido autorizado o envio das verbas da lei das Infraestruturas Militares (LIM) para as FA.

A partir do saldo de receita da LIM, o Ministério da Defesa definiu a verba a distribuir pelos ramos: 4,45 milhões de euros para o Exército, 3,18 milhões de euros para a Marinha, 3,18 milhões de euros para a Força Aérea e 1,92 milhões de euros para o EMGFA. O ministério indica ainda que o Exército já recebeu este ano quase 7,1 milhões de euros por cedência de utilização à Câmara de Lisboa da Manutenção Militar - Ala Sul.
Ver comentários