Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Governo arrisca falhar 40 milhões

Consumidores serão “sensíveis ao fator preço”.
José Rodrigues e Pedro H. Gonçalves 15 de Fevereiro de 2015 às 21:16
FOTO: Ricardo Pereira/Sábado

Os hipermercados vão fintar o preço de dez cêntimos que entra hoje em vigor nos sacos de plástico.

 

A maioria das grandes superfícies vai vender sacos mais grossos, que, pela gramagem, ficam isentos de imposto. Os clientes vão assim pagar por um saco que podem usar mais vezes, mas o dinheiro vai para os híperes. O encaixe de 40 milhões que o Governo queria obter com a medida está, assim, em risco.

 

"Antes, oferecíamos os sacos, que nos custavam dinheiro. Agora vamos vendê-los. O Governo tirou-nos o custo e deu-nos um benefício" disse ao CM uma fonte da distribuição, adiantando que o Estado "terá sorte se conseguir um milhão de receita".

 

Ao CM, o Ministério do Ambiente mantém que a estimativa de 40 milhões "é prudente", pois foi calculada no pressuposto de reduzir para 50 sacos per capita em 2015 face aos atuais 466. Quanto ao negócio, o ministério diz que a questão "será facilmente resolvida pelos consumidores, que são sensíveis ao fator preço e no momento da decisão optarão pelas soluções mais sustentáveis do ponto de vista ambiental e económico". A mesma fonte explica que os sacos grossos "não são tributados nem em Portugal nem noutros países, pela resistência e por serem mais facilmente recicláveis".   

governo sacos preço hipermercados
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)