Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Governo extingue Bolsa de Contratação de Escolas

Medida começou a ser aplicada pela primeira vez em 2014.
5 de Janeiro de 2016 às 22:24
No próximo ano letivo não vai existir a contestada Bolsa de Contratação de Escolas
No próximo ano letivo não vai existir a contestada Bolsa de Contratação de Escolas FOTO: Getty Images

O Ministério da Educação esclareceu esta terça-feira a Lusa que vai acabar no próximo ano letivo com a contestada Bolsa de Contratação de Escolas (BCE).

"O Ministério da Educação entende que este modelo claramente não funcionou", refere o ministério no esclarecimento, salientando que a "média de espera para contratação de um professor é de 21 dias".

Em reação à decisão anunciada, a Federação Nacional dos Professores (Fenprof) sublinhou, em comunicado, que o fim da BCE "deverá levar a que, finalmente, toda a contratação respeite regras transparentes e justas que só o concurso nacional, assente na graduação profissional, pode garantir".

A Fenprof relembra que sempre defendeu um "concurso único" e de "âmbito nacional" para a contratação de docentes e com base na sua graduação profissional.

A federação "aguarda agora o início das negociações, nas quais aproveitará para apresentar ao Ministério da Educação propostas de alteração relativas a outros aspetos do regime de concursos", refere.

A BCE começou a ser aplicada pela primeira vez em 2014 como forma de colocação de professores contratados nas escolas consideradas Territórios Educativos de Intervenção Prioritária (TEIP) e nas escolas com contrato de autonomia. A dificuldade em confirmar a veracidade dos dados apresentados pelos professores, nas suas candidaturas, contribuiu para atrasar o processo de colocação.

Ministério da Educação Bolsa de Contratação de Escolas Fenprof
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)