Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Grândola exige prisão

O presidente da Câmara Municipal de Grândola, Carlos Beato, exige que o fecho do Estabelecimento Prisional (EP) de Pinheiro da Cruz implique a “relocalização de uma prisão nova no concelho”.
13 de Outubro de 2006 às 00:00
Carlos Beato
Carlos Beato FOTO: Natália Ferraz
“Não nos opomos à deslocalização desde que dentro do concelho”, explicou Carlos Beato ao CM, admitindo que “se o Governo quiser fechar a prisão está no seu direito” e a autarquia nada pode fazer. Mas, logo acrescenta, que “a utilização a dar ao espaço hoje ocupado pela prisão já depende do município”, sugerindo “um pólo tecnológico, um Museu da Liberdade ou um centro de formação turística”.
Carlos Beato diz estar “disponível para ajudar a encontrar soluções, desde que a opinião da câmara seja equacionada”, considerando “inaceitável” a deslocalização para fora do concelho. Até porque, adianta o autarca, “há boas alternativas no concelho, junto à A2 ou ao IC1, Lisboa-Algarve”.
Questionado pelo CM, o director-geral dos Serviços Prisionais, Rui Sá Gomes, admitiu que “Pinheiro da Cruz é uma prisão muito valiosa” e “pouco adaptada às necessidades actuais”.
A venda permitirá a construção “de novos EP mais modernos, com mais valências, sem sobrecarregar o Orçamento de Estado”.
Ver comentários