Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

"Há bolsas mas faltam em pregos"

Carlos Fiolhais diz que faltou a Sócrates ligar ciência à economia.
31 de Maio de 2011 às 00:30
CARLOS FIOLHAIS, CIÊNCIAS, ECONOMIA, SÓCRATES, CAMPANHA, ELEIÇÕES
CARLOS FIOLHAIS, CIÊNCIAS, ECONOMIA, SÓCRATES, CAMPANHA, ELEIÇÕES FOTO: Ricardo Almeida

Correio da Manhã - Como avalia a política para a ciência nos últimos seis anos de governo Sócrates?

- A expansão da ciência foi uma das poucas coisas boas dos maus anos de Sócrates. Mas têm faltado duas coisas essenciais: a ligação às Universidades - foi montado um sistema de ciência em boa parte à margem das universidades - e a ligação à economia - o sistema científico tem algum dinamismo mas ainda não conseguiu empurrar a economia.

- A fuga de cérebros para o estrangeiro foi estancada ou continua a ser uma realidade?

- A fuga de cérebros é, infelizmente, real: há bolsas mas faltam empregos nas universidades e nas empresas. O governo deu bolsas, mas não deu vidas aos jovens. Quando eles fazem vidas noutro lado, é riqueza que se perde.

- E no ensino superior? Houve ou não uma evolução positiva?

- Tem sido dada mais atenção à ciência do que ao ensino superior quando os dois sectores podiam ter sido entrelaçados. Houve coisas que melhoraram no nosso ensino superior, mas o espaço para melhoria ainda é grande. Há instituições a mais, há cursos a mais. Universidades e politécnicos competem, por vezes, de uma maneira absurda.

- A criação da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior foi uma boa ideia? Funciona bem?

- Foi boa ideia, embora pecando por tardia. Vamos a ver se funciona bem. Durante muito tempo fez-se avaliação sem efeitos. Vamos a ver se produz efeitos.

- De que a forma a crise que o País vive afecta a área da ciência e como perspectiva que possa vir a afectar nos próximos anos?

- O País dispõe de menos dinheiro e esse défice está já a afectar a ciência. Seria, porém, um erro enorme se deixássemos de apostar na ciência e na tecnologia, pois estes são precisamente os meios que, a prazo, nos podem garantir um futuro melhor. Só podemos ter um mundo melhor se conhecermos melhor o mundo e, com isso, formos capazes de o mudar.

- Quais as medidas prioritárias para a área da ciência nos próximos anos?

- Trazer as Universidades mais para o centro do sistema científico. Trazer a ciência mais para o centro da economia.

- Os programas eleitorais dos partidos contemplam essas medidas?

-Não sei. Não leio programas dos partidos e não sei se alguém lê.

- Que mudanças podem surgir caso a direita suba ao poder?

- A ciência não é de esquerda nem de direita. É uma matéria importante demais para ser alvo da politiquice. Nunca percebi porque é que não procuramos consensos em áreas como esta que são críticas para o nosso futuro.

PERFIL

Carlos Fiolhais, 55 anos, professor catedrático de física na Universidade de coimbra. É Autor de mais de 130 artigos científicos e publicou 40 livros.

CARLOS FIOLHAIS CIÊNCIAS ECONOMIA SÓCRATES CAMPANHA ELEIÇÕES
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)