Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

"Há que fazer do 5 de outubro uma data viva": Presidente da República discursa na cerimónia dos 111 anos

Este é o quinto discurso do chefe de Estado em cerimónias comemorativas do 5 de outubro, em Portugal.
Correio da Manhã 5 de Outubro de 2021 às 11:19
A carregar o vídeo ...
"Há que fazer do 5 de outubro uma data viva": Presidente da República discursa na cerimónia dos 111 anos
"Há que fazer do 5 de outubro uma data viva", disse o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no seu discurso esta terça-feira na cerimónia comemorativa dos 111 anos da Implantação da República, na Praça do Município, em Lisboa.

No início do discurso, Marcelo começou também por fazer uma homenagem a Jorge Sampaio evocando "com saudade um grande presidente de Câmara e de Portugal". O Presidente da República agradeceu ainda o trabalho desenvolvido por Medina enquanto Presidente da Câmara de Lisboa e desejou "felicidades" a Carlos Moedas. 

O 5 de outubro enquanto "data viva" significa que é necessário construir um país "mais inclusivo, mais justo, mais rico, mais conhecedor, mais qualificado e mais culto".

"O Portugal que somos nunca vencerá os desafios da entrada a tempo no novo ciclo económico e da multiplicação do conhecimento com dois milhões de pobres e alguns mais em risco de pobreza", declarou também chefe de Estado.

Mais uma vez elogioso de Portugal e do povo português, o Presidente da República diz que "quando somos bons, somos dos melhores de todo o mundo", mas ainda assim é preciso "fazer mais e melhor". Ainda assim, Marcelo pede a valorização de "emigrantes espalhados pelo mundo" e de "imigrantes".

O Presidente da República falou ainda a importância do Plano de Resiliência e Recuperação, insistindo que é necessário "entrar nos primeiros" no novo ciclo económico e não deixar-se ultrapassar neste processo". 

Depois, o Presidente da República apelou para que "Portugal por uma vez entre a tempo num novo ciclo económico do clima, energia, digital, ciência, tecnologia e renovado tecido produtivo". "E dispondo de meios de financiamento adicionais, a serem usados com rigor, eficácia e transparência", referiu.

Marcelo Rebelo de Sousa advertiu que, "desta vez, falhar a entrada a tempo é perder, sem apelo nem agravo, uma oportunidade que pode não voltar mais".

Este é o quinto discurso de Marcelo em cerimónias comemorativas do 5 de outubro e o primeiro do segundo mandato enquanto Presidente da República. 

O chefe de Estado costuma aproveitar a data histórica para Portugal para se dirigir aos políticos, mas também para passar mensagens para os portugueses. 

Em 2020, Marcelo Rebelo de Sousa aproveitou a ocasião para defender que a crise provocada pela pandemia de Covid-19 seria uma oportunidade para mudar instituições e comportamentos que não deve ser desperdiçada. No mesmo discurso, o Presidente da República tentou passar uma mensagem contra as ditaduras. 
Ver comentários