Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

ILEGALIDADES EM GUIMARÃES

Pagamentos ilegais, ajustes directos ilegais e contratação em excesso de funcionários, eis algumas das conclusões do Tribunal de Contas sobre a gestão da Câmara Municipal de Guimarães, no exercício de 2000. Em consequência, o executivo camarário, caso o Ministério Público corrobore o relatório do TC, poderá ter de devolver dinheiro e/ou pagar multas.
26 de Março de 2003 às 10:10
ILEGALIDADES EM GUIMARÃES
ILEGALIDADES EM GUIMARÃES
Entre as irregularidades, destaque para pagamentos ilegais à Turipenha – empresa municipal de promoção turística – na sequência da adjudicação, em 1998, por ajuste directo, de serviços de gestão, controlo, vigilância e limpeza do Parque de Campismo da Penha, no valor de 7200 contos. E mais. Os juízes do TC detectaram a “não arrecadação de receitas provenientes do Parque de Campismo de Penha (municipal), derivada de um acordo entre a CMG e a Cooperativa Turipenha”.
As verbas em causa são cerca de 5572 contos, para uma responsabilidade directa dos membros do executivo camarário. Entretanto, o CDS-PP de Guimarães anunciou que vai pedir a demissão do presidente da câmara vimaranense, o socialista António Magalhães, caso este rejeite as responsabilidades pessoais e as atire para a equipa técnica da Câmara, como parece ter acontecido no passado.
Ver comentários