Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Iniciativa Liberal não apoiará Governo PS, mas reconhece que não há alternativa

"Obviamente que não lhe daremos apoio parlamentar", afirmou o líder do IL.
Lusa 8 de Outubro de 2019 às 13:52
Iniciativa Liberal recebida pelo Presidente da República
Iniciativa Liberal recebida pelo Presidente da República
Iniciativa Liberal recebida pelo Presidente da República
Iniciativa Liberal recebida pelo Presidente da República
Iniciativa Liberal recebida pelo Presidente da República
Iniciativa Liberal recebida pelo Presidente da República
Iniciativa Liberal recebida pelo Presidente da República
Iniciativa Liberal recebida pelo Presidente da República
Iniciativa Liberal recebida pelo Presidente da República
O presidente do Iniciativa Liberal, Carlos Guimarães Pinto, manifestou-se esta terça-feira contra a indigitação do secretário-geral do PS como primeiro-ministro e, por isso, não lhe dará apoio parlamentar, mas admite que "não havia qualquer alternativa".

"Não havia qualquer alternativa, e nós entendemos isso, à indigitação de António Costa como é evidente. Obviamente que não lhe daremos apoio parlamentar", afirmou o líder do IL à saída da audiência com o Presidente da República, que decorreu no Palácio de Belém, em Lisboa.

Notando que "neste momento existem seis partidos a concorrer" para dar apoio parlamentar a um Governo do PS, Carlos Guimarães Pinto apontou que existiu "até agora uma 'geringonça'", mas parece que no futuro dará lugar a "uma 'aranhonsa' de seis partidos".

"A Iniciativa Liberal não fará parte desta 'aranhonsa' [...] não apoiaremos a solução de Governo", salientou, justificando que o partido é "uma clara oposição ao socialismo" e, como tal, não podiam apoiar "um Governo deste tipo".

"Claramente somos um partido liberal, de oposição ao socialismo, uma posição clara e ideológica, nunca apoiaremos" um Governo do PS", vincou.

Aos jornalistas, o presidente do Iniciativa Liberal lamentou, por várias vezes, a forma como decorreu o processo eleitoral no estrangeiro, dado que ainda não há resultados dos círculos da emigração e, por isso, há quatro mandatos que ainda não foram atribuídos.

Apesar de concordar com a realização das audiências, Carlos Guimarães Pinto apontou que os emigrantes mereciam o respeito de ter "os seus votos contados antes disto acontecer". Assim, esta é "uma crítica ao Governo" e não ao Presidente.

Carlos Guimarães Pinto e João Cotrim Figueiredo, o deputado eleito no domingo, e outros dois dirigentes do Iniciativa Liberal estiveram reunido com o Presidente da República durante cerca de 15 minutos.

Marcelo Rebelo de Sousa recebe esta terça-feira os 10 partidos com representação parlamentar saídos das eleições legislativas de domingo, com vista à indigitação do primeiro-ministro. O Livre foi a primeira força política a ser recebida e o PS será a última, por ordem de votação.

Questionado sobre a rapidez do encontro com Marcelo Rebelo de Sousa, o líder do IL lembrou que o chefe de Estado tem "uma maratona de partidos para receber", mas apontou que tiveram "muito tempo" para conversar.

Sobre o 'Brexit', outro dos assuntos em cima da mesa uma vez que está marcado para a próxima semana um Conselho Europeu para discutir a saída do Reino Unido da União Europeia, Carlos Guimarães Pinto preferiu não falar sobre este tema e deixar esse assunto "para a conversa com o Presidente".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)