Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

IP 4 É A ÚNICA VIA ESTRUTURANTE DA REGIÃO DE BRAGANÇA

O distrito de Bragança precisa de pouco mais do que o equivalente a um “novo” IP4 para solucionar as grandes carências de acessibilidades.
26 de Março de 2003 às 00:01
A duplicação do IP4 resolverá as carências de acessibilidades
A duplicação do IP4 resolverá as carências de acessibilidades FOTO: Direitos Reservados
Esta pretensão foi apresentada pelos autarcas do distrito à comissão parlamentar de Obras Públicas, presidida por Anacoreta Correia, que visitou a região durante dois dias.
“O IP4 é a única via estruturante existente em Trás-os-Montes e aquela que mais contribuiu para desencravar a região, fazendo a ligação ao Litoral, no Porto, e à fronteira, em Bragança”, disse Jorge Nunes, presidente da Câmara Municipal de Bragança.
Com mais 200 quilómetros de vias rápidas e 100 de ligações internas concelhias, “será possível desencravar o distrito” referiu Anacoreta Correia, ao ouvir os 12 autarcas da região.
Após percorrer algumas estradas do Nordeste acompanhado dos restantes deputados, Anacoreta apercebeu-se de muitas coisas que faltam fazer na região, apelando aos autarcas locais para que se entendam de forma a evitar o adiamento da construção das acessibilidades.
Anacoreta Correia prometeu apresentar ao Governo um relatório sobre as acessibilidades, para que o distrito de Bragança tenha “uma perspectiva nova nesta matéria”.
Machado Rodrigues, deputado do PSD eleito por Bragança, invocou dados do Instituto de Estradas de Portugal para referir que a execução do plano rodoviário na região está muito abaixo da média nacional.
O presidente da Câmara de Bragança, Jorge Nunes, reforçou o facto dizendo que “o plano rodoviário regional só ficará completo com a duplicação do IP4, de forma a assumir o mesmo perfil da futura auto-estrada que vai desembocar em Espanha”, lembrando que o ministro Valente de Oliveira garantiu que este objectivo será concretizável até 2010.
O autarca espera que os investimentos do Governo contemplem também a polémica ligação à autovia das Rias Baixa, na Galiza.
Ver comentários