Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

ISALTINO PRESTA CONTAS... COM LAPSOS

O ex-ministro Isaltino Morais apresentou ao Tribunal Constitucional a declaração de rendimentos e património a que está obrigado por ter saído do Governo, mas no documento não constam duas das três contas que já admitiu ter na Suíça e o total das aplicações financeiras não coincide com os valores inscritos nos extractos bancários anexados.
19 de Junho de 2003 às 14:21
Isaltino Morais
Isaltino Morais FOTO: CM
No início de Abril, o ainda ministro Isaltino admitiu ao semanário “O Independente” ter três contas na Suíça, com cerca de 540 mil francos suíços (360 mil euros) que afirmou pertencerem a um sobrinho. Isaltino demitiu-se na véspera do dia em que “O Independente” revelou as contas. No documento apresentado há uma semana ao TC, o ex-ministro enuncia apenas uma conta na Suíça (na Union des Banques Suisses – UBS) e com um saldo de 47.869 francos suíços, sem nada referir sobre a titularidade da mesma, revelou o jornal “Público”, na sua edição de hoje.
De acordo com o mesmo diário, Isaltino referiu no documento entregue ao TC que a conta que agora admite ter na Suíça não foi referida na declaração entregue em 2002, quando entrou para o Governo, por “lapso”. Mas facto é que o lapso se manteve durante mais de dez anos. E facto também é que Isaltino declara agora uma e não três contas na Suíça, sendo difícil concluir que terá cancelado as outras duas, uma vez que o extracto relativo à conta que admite ter remonta a 3 de Janeiro último.
Há cerca de um mês, Isaltino confessou ao “Público” que costumava encarar com “displicência” a sua obrigação de declarar rendimentos e património ao TC. Essa displicência parece manter-se. O ex-ministro corrige agora a sua posição patrimonial, declarando um terreno em Cabo Verde e a dívida de mais de 68 mil euros contraída junto da Caixa Geral de Depósitos para adquirir um apartamento em Miraflores, mas os números continuam a não bater certo. Isaltino declara 181 mil euros em aplicações financeiras, mas os extractos bancários anexados somam 171 mil euros. Em Junho do ano passado, Isaltino apresentava uma situação financeira mais folgada, com 195 mil euros declarados, contra os 181 mil agora admitidos, muito embora os seus rendimentos de trabalho dependente tenham melhorado. Há um ano declarou 60.700 euros brutos referentes a 2001 (quando era autarca) e agora declarou 77.616 euros, relativos ao ano em que foi ministro, refere o jornal “Público”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)