Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Jardim diz que Constituição “tapa” caminhos alternativos

O líder do Governo Regional da Madeira considera que a Constituição representa o principal entrave à aplicação de medidas alternativas para se cumprirem os compromissos financeiros do País.
20 de Outubro de 2012 às 12:56
Jardim sublinhou que é o regime político o “culpado” pela ausência de alternativas, mais do que a proposta do Orçamento do Estado para 2013
Jardim sublinhou que é o regime político o “culpado” pela ausência de alternativas, mais do que a proposta do Orçamento do Estado para 2013 FOTO: Homem de Gouveia/Lusa

Em declarações na sexta-feira à noite, no aeroporto do Funchal, Alberto João Jardim disse mesmo que "simplesmente muitos desses caminhos estão tapados pela Constituição".

"A alteração do regime sempre foi a minha tese", acrescentou.

Jardim sublinhou que é o regime político o "culpado" pela ausência de alternativas, mais do que a proposta do Orçamento do Estado para 2013.

Sobre a crise na coligação, o madeirense referiu que não é por patriotismo que Paulo Portas se mantém ao lado de Pedro Passos Coelho.

"Se o CDS-PP viesse neste momento deitar abaixo a coligação, estava imediatamente queimado. Não foi por patriotismo que se mantiveram na coligação. Sabem que iam ser responsabilizados se o País caísse", lembrou Jardim.

alberto joão jardim madeira governo oe2013 troika passos coelho paulo portas cds-pp
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)