Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Jerónimo de Sousa defende Rita Rato e recusa estigma por ser do PCP

Posição do líder do PCP surge após várias críticas de historiadores e museólogos à falta de experiência e currículo da ex-deputada.
Correio da Manhã 10 de Julho de 2020 às 08:08
Rita Rato saiu do Parlamento em 2019
 O secretário-geral do Partido Comunista Português (PCP), Jerónimo de Sousa
Jerónimo de Sousa
Rita Rato saiu do Parlamento em 2019
 O secretário-geral do Partido Comunista Português (PCP), Jerónimo de Sousa
Jerónimo de Sousa
Rita Rato saiu do Parlamento em 2019
 O secretário-geral do Partido Comunista Português (PCP), Jerónimo de Sousa
Jerónimo de Sousa

O líder do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu ésta quinta-feira a ex-deputada comunista Rita Rato das críticas à escolha para diretora do Museu do Aljube, em Lisboa.

Jerónimo de Sousa disse, “com preocupação”, que não se deve “penalizar alguém, por causa desta ou daquela opção partidária”. “Que ninguém pense em lançar esse estigma porque isso acabou há 46 anos, com o 25 de Abril de 1974”.

A posição de Jerónimo surge depois de várias críticas de historiadores e museólogos à falta de experiência e currículo de Rita Rato.

Esta quinta-feira, a presidente do comité português do Conselho Internacional dos Museus, Maria de Jesus Monge, disse ter ficado “surpreendida”, porque a ex-deputada “não apresenta o perfil adequado”. Contudo, a EGEAC, que selecionou Rita Rato, garante que esta apresentou “uma visão integrada” para o museu e “destacou-se” entre os concorrentes. Rita Rato inicia funções como diretora do Museu do Aljube a 1 de agosto. 

Jerónimo de Sousa PCP Rita Rato Lisboa política artes cultura e entretenimento história partidos e movimentos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)