Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

JOVENS COMUNISTAS DIVIDIDOS

Os membros da Juventude Comunista Portuguesa (JCP) estão divididos em termos ideológicos. De um lado estão os que criticam a postura do partido na expulsão dos renovadores e do outro estão os que continuam a defender o marxismo-leninismo. A meio, encontram-se os que aproveitam a Festa do Avante para confraternizar.
7 de Setembro de 2003 às 00:00
Joana, 20 anos, explicou ao CM que entrou na organização por identificação e por achar que "luta contra as desigualdades", no local de trabalho e na sociedade. É por isso que critica a expulsão dos renovadores do PCP. "O partido está errado em tentar impor um pensamento único. Eu aceito outras opiniões, até porque o marxismo não é o mesmo do século XIX", defende a jovem militante.
Paulo Leitão, 23 anos, não é da mesma opinião. "O marxismo-leninismo é a única forma de acção do partido". Para ele, a luta de classes continua a fazer todo o sentido, porque "persistem as desigualdades entre os os proprietários e os trabalhadores".
Já Adriana, 15 anos, entrou na JCP por influência familiar e por "não querer depositar a sua vida nas mãos de outros". Mas Adriana reconhece que também se inscreveu pela "boa convivência". E este já é o último dia em que os comunistas podem conviver na Festa do Avante.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)