Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Julgamento só depois de eleições

O julgamento do deputado do PSD António Preto já está marcado para dia 27 de Outubro nas varas criminais de Lisboa e será dirigido pelo juiz-presidente José Reis, segundo a Lusa. Em causa está uma acusação de falsificação e fraude fiscal qualificada, em co-autoria, num processo que ficou conhecido como o ‘caso da mala’. A data do início do julgamento, ontem divulgada, surge uma semana após o conselho nacional do PSD, polémico por causa da inclusão de António Preto e Helena Lopes da Costa nas listas de Lisboa, em lugares elegíveis. A lista foi aprovada e o parlamentar, ex-dirigente da distrital, só se sentará no banco dos réus um mês depois das eleições legislativas de 27 de Setembro.
11 de Agosto de 2009 às 00:30
Manuela Ferreira Leite teve António Preto na direcção da distrital de Lisboa do PSD. O deputado sucedeu-lhe
Manuela Ferreira Leite teve António Preto na direcção da distrital de Lisboa do PSD. O deputado sucedeu-lhe FOTO: Pedro Catarino

No total, em julgamento vai estar a acusação de 150 mil euros que o deputado terá recebido de dois empresários da construção civil, Virgílio Sobral Sousa e Jorge Silvério. Os três terão causado um prejuízo de 37, 5 mil euros ao Estado, de acordo com a acusação.

O parlamentar, com mandato suspenso desde o final de Julho, enfrenta uma acusação de 2005 segundo a qual terá, alegadamente, recebido entre Abril e Maio de 2002 cerca de 40 mil euros em notas e moedas de Virgílio Sobral Sousa e Jorge Silvério (ambos arguidos) para pagar despesas da sua campanha eleitoral para a distrital do PSD-Lisboa, que foi a votos a 17 de Maio de 2002. Na acusação, segundo apurou o CM, os montantes em numerário entregues a António Preto por Virgílio Sobral de Sousa e Jorge Silvério tinham por destino, além da sua campanha para a distrital, "um número indeterminado de quotas de militantes do PSD". Esta conclusão é extraída de escutas telefónicas.

António Preto sempre reclamou inocência e disse que os montantes em dinheiro eram devidos ao pagamento de honorários como advogado.

Recorde-se que António Preto foi uma escolha de Manuela Ferreira Leite para integrar a lista em Lisboa no oitavo lugar, posição em que será eleito. E já tinha sido incluído nas listas com Santana Lopes. Ontem esteve incontactável.

LÍDER MANTEVE-SE EM SILÊNCIO SOBRE LISTAS ÀS ELEIÇÕES

A inclusão de António Preto nas listas não tem sido pacífica no PSD. Há quem já tenha comprado uma ‘guerra’ com a líder do partido, caso de Carlos Carreiras, e há quem ignore o assunto ou se sinta incomodado. Já Manuela Ferreira Leite não falou publicamente sobre as listas. Miguel Macedo, ex-secretário-geral de Marques Mendes, apenas diz que não mudou de posição sobre o que está no projecto-lei no Parlamento quanto ao impedimento de candidatos acusados: prisão efectiva, preventiva ou acusação por crime doloso no exercício de cargos públicos.

ESCUTAS

"... [Arranjar] mil contitos para o Preto para as quotas dele"

Virgílio Sobral de Sousa Contacto com o filho

"[O dinheiro está] (n)uma mala"... [e pretendo entregá--la] o mais rápido possível", Sérgio Sobral de Sousa

Contacto com António Preto

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)