Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Juntar créditos para fugir à crise

As famílias sobreendividadas vão poder juntar vários créditos numa única prestação, de forma a conseguirem uma almofada contra a crise. Sem montantes definidos à partida, esta será a solução que juntará as cinco forças políticas nos próximos 45 dias no Parlamento. Ontem, as 18 propostas para alterar as regras no crédito à habitação nem sequer foram votadas, mas todas serão analisadas à lupa para se conseguir chegar a um consenso.
9 de Junho de 2012 às 01:00
Parlamento registou ontem um consenso invulgar para que as famílias não percam as suas casas
Parlamento registou ontem um consenso invulgar para que as famílias não percam as suas casas FOTO: joão cortesão

Há muitas famílias que têm cinco créditos, além da dívida da casa, quando pedem ajuda à Deco. Ao CM, o deputado do PSD António Leitão Amaro admite "a possibilidade" de concentração de outros créditos na renegociação da dívida do empréstimo à habitação.

Do lado da Associação Portuguesa de Bancos, Pedro Malaquias adiantou ontem que se tais medidas não forem bem ponderadas "poderá levar a incumprimentos contratuais à Banca, assim como à necessidade de os bancos fazerem novas provisões e terem de renegociar todo o plano de recapitalização da Banca, que já está negociado e foi apresentado à troika". Leonor Coutinho, da Sefin – Associação de Utilizadores de Produtos Financeiros, enalteceu a necessidade de se legislar, mas avisa: "Para se chegar a boas práticas, tem de se ser um pouco mais duro."

No Parlamento, registou-se um consenso invulgar com um único objectivo: evitar que as famílias endividadas percam as suas casas. Em média, todos os dias são entregues à Banca 25 habitações.

Crise Crédito Habitação Banca
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)