Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Luís Montenegro assegura que “Rio está condenado a resultados medíocres”

Candidato à liderança do PSD lembra “desgraça” de resultados do partido e faz avisos ao presidente.
Janete Frazão 8 de Novembro de 2019 às 09:12
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Rui Rio
Rui Rio
Rui Rio
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Rui Rio
Rui Rio
Rui Rio
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Rui Rio
Rui Rio
Rui Rio

Luís Montenegro usou as redes sociais para endurecer o discurso contra Rui Rio. O candidato à liderança do PSD assume-se como vencedor das diretas de janeiro e vaticina "resultados medíocres" para o presidente social-democrata. "A força que os portugueses deram a Rui Rio foi 21 e 27%.

Uma das explicações desta desgraça é ele não perceber que só um PSD forte por dentro é confiável lá fora", disse. "Quem não respeita nem aproveita a força dos militantes, deputados, dirigentes e autarcas está condenado a resultados medíocres", acrescentou o antigo líder parlamentar, em vésperas do Conselho Nacional de Bragança, que esta sexta-feira tem lugar. Esta quinta-feira, no final da reunião da bancada laranja, Rio disse esperar que a campanha interna decorra "com respeito mútuo, sem vigarices".

Uma sondagem da Intercampus para o CM revela que, dos candidatos que correm contra Rio, Montenegro é o que tem maior notoriedade (66,6%). Seguem-se Jorge Moreira da Silva (28,6%), que, entretanto, saiu de cena, e Miguel Pinto Luz (21,4%). Apesar disso, Montenegro é também o candidato que, entre os três, reúne mais opiniões tanto positivas como negativas dos portugueses (22,4% e 25,9%, respetivamente).




FICHA TÉCNICA
Objetivo: Sondagem realizada pela Intercampus para o CM e a CMTV, com o objetivo de conhecer a opinião dos portugueses sobre variados temas da política nacional.
Universo: População portuguesa, com 18 ou mais anos de idade, eleitoralmente recenseada, residente em Portugal continental.
Amostra: É constituída por 604 entrevistas, com a seguinte distribuição proporcional: 288 a homens e 316 a mulheres; 132 a pessoas entre os 18 e os 34 anos, 219 entre os 35 e os 54 anos e 253 a pessoas com 55 ou mais anos; 230 no Norte, 140 no Centro, 163 em Lisboa, 45 no Alentejo e 26 no Algarve.
Seleção da amostra: A seleção do lar fez-se através da geração aleatória de números de telefone fixo/móvel. No lar a seleção do respondente foi realizada através do método de quotas de género e idade (3 grupos). Foi elaborada uma matriz de quotas por região (NUTS II), género e idade, com base nos dados do Recenseamento Eleitoral da população portuguesa (31/12/2016) da Direção-Geral da Administração Interna (DGAI).
Recolha da informação: Através de entrevista telefónica, em total privacidade, através do sistema CATI. Os trabalhos de campo decorreram entre 22 e 28 de Outubro de 2019.
Margem de erro: O erro máximo de amostragem, para um intervalo de confiança de 95%, é cerca de 4% Taxa de resposta 65,1%
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)