Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
9

Madeira: Louçã acusa Passos Coelho de conivência com "falcatrua eleitoral"

O líder do Bloco de Esquerda (BE), Francisco Louçã, acusou esta terça-feira Pedro Passos Coelho de conivência com uma "falcatrua eleitoral" nas eleições do próximo domingo na Madeira, ao "manter-se em silêncio" sobre as contas do arquipélago.
4 de Outubro de 2011 às 20:15
Louçã esteve ao lado do cabeça-de-lista do BE nas eleições regionais, Roberto Almada
Louçã esteve ao lado do cabeça-de-lista do BE nas eleições regionais, Roberto Almada FOTO: Homem de Gouveia/ Lusa

"Ao manter em silêncio as contas da Madeira que falta conhecer e ao manter em silêncio o que os madeirenses vão viver nos próximos quatro anos, Pedro Passos Coelho ajuda a uma falcatrua nas próximas eleições", disse, durante uma acção de rua do partido no Funchal.  

Para o coordenador bloquista, a campanha rumo às eleições de 09 de Outubro "está a transformar-se numa enorme falcatrua" já que, anteviu, o PSD e o CDS "estão a cozinhar uma resposta" à crise financeira no arquipélago "penalizando quem não fez a dívida, indo atrás dos salários e das pensões, aumentando o IVA ou ameaçando o aumento dos custos da saúde".  

Louçã referiu ainda que o dia seguinte às eleições será "uma segunda-feira de susto". 

"A primeira exigência que quero apresentar é que é preciso que se diga a verdade aos madeirenses, que a era da mentira tem que acabar e que se o PSD e o CDS querem esconder as contas para depois aumentar o IVA, atacar os salários, diminuir pensões ou aumentar os custos da saúde, então é preciso vencê-los nestas eleições", reforçou.  

Ao lado do cabeça-de-lista do BE nas eleições regionais, Roberto Almada, Louçã defendeu, por isso, a necessidade de "começar pelo essencial", por uma "auditoria rigorosa às contas da dívida para saber onde é que estão os desvios e os buracos".  

"O que queremos saber, o que os madeirenses precisam de saber antes que lhes cobrem 79 mil euros por cada pessoa é quem ficou com o dinheiro, que obras e concessões foram feitas, que favorecimentos foram criados, que desvios orçamentais, quanto é que se pagou, a que empresas e que compromissos é que há", argumentou.  

Começar "por responsabilizar quem fez a dívida é a primeira garantia para proteger quem não fez a dívida", insistiu.  

"E por isso a falcatrua eleitoral é não permitir aos madeirenses saber o que vai acontecer. Até domingo é só inaugurações e foguetório. Mas a partir de segunda-feira o PSD e o CDS estão a cozinhar aumentos de impostos, dos custos da saúde. E porque é que não dizem aos madeirenses? E porque é que não dizem que os responsáveis vão fugir para que fique o madeirense, o pobre, o trabalhador, a reformada a pagar uma dívida que não fez?", insistiu.

Depois de percorrer algumas ruas do centro do Funchal, acompanhado pelo cabeça de lista do partido e algumas dezenas de apoiantes, Louçã irá participar num jantar/comício de campanha no Tecnopólo do Funchal.  

louçã passos coelho bloco de esquerda madeira eleições
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)