Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

Madeira: PND acusa Representante da República de "branquear sistema"

Partido diz que Irineu Barreto não fez avaliação correcta do parecer do Tribunal de Contas às contas da região sobre limite de endividamento
21 de Junho de 2012 às 13:09
Ireneu Barreto, representante da República na Madeira, foi acusado pelo PND de branquear o sistema
Ireneu Barreto, representante da República na Madeira, foi acusado pelo PND de branquear o sistema FOTO: Mário Cruz/Lusa

O Partido da Nova Democracia (PND) ofereceu esta quinta-feira uma máquina de lavar roupa ao Representante da República para a Madeira por "branquear o sistema", acusando Ireneu Barreto de se comportar como um "avençado do Governo Regional".

"O senhor Representante da República para a Madeira fez declarações miseráveis sobre o último relatório do Tribunal de Contas (TC) para a região. Para ele, termos ultrapassado os limites de endividamento em mil milhões de euros não é importante, para ele termos encargos assumidos e não pagos de 2010 no valor de 1.400 milhões de euros é pouco relevante, ele próprio assumiu que nem leu o relatório, não obstante considera que a coisa não está tão má como as pessoas querem fazer parecer", afirmou a deputada do PND Rubina Sequeira, numa conferência de imprensa junto ao Palácio de São Lourenço, a residência oficial de Ireneu Barreto, no Funchal.

A deputada disse que "ao PND parece que o senhor Representante da República se está a comportar como mais um avençado do Governo Regional e comporta-se como se a sua função fosse branquear o sistema".

"Ora bem, senhor Representante da República, se a sua função é branquear o sistema o PND oferece uma máquina de lavar porque é uma função ingrata aquela que lhe compete, a roupa está mesmo suja", declarou Rubina Sequeira, convicta de que o equipamento "vai ajudar bastante" Ireneu Barreto "a desempenhar as suas funções".

"Ele neste momento está só a branquear, ele comporta-se como se tivesse sido contratado para isso, ele assumiu não ter lido o relatório e trata de adoçar aquilo que é amargo para todos nós", adiantou a parlamentar.

Na terça-feira, Ireneu Barreto considerou que o parecer do Tribunal de Contas (TC) à Conta da região relativa a 2010 "não é tão mau como querem fazê-lo parecer".

"Eu vou lê-lo, como faço em relação a tudo o que interessa à região, mas tanto quanto eu me apercebi das notícias que vi na comunicação social o relatório não é, na minha perspectiva, tão mau como parece que querem fazê-lo", declarou.

No dia seguinte, em comunicado, Ireneu Barreto esclareceu que as suas declarações foram uma reaccção a uma notícia que tinha acabado de conhecer onde se afirmava que a Madeira corria o "risco de ficar sem verbas do Orçamento de Estado".

"Jamais o Representante da República desejou pôr em causa o trabalho do Tribunal de Contas, órgão que muito admira na sua actividade de garante do rigor e da disciplina financeira e orçamental", acrescentou.

No parecer do TC à Conta da região de 2010, divulgado a semana passada, lê-se que os encargos assumidos e não pagos da administração regional directa e indirecta da Madeira foram em 2010 de 1.455,7 milhões de euros, valor que deve ser corrigido em alta devido a compromissos não reportados.

O parecer, elaborado pela Secção Regional da Madeira do TC, acrescenta que a região "ultrapassou o seu limite de endividamento em 1,05 mil milhões de euros".

pnd madeira branquear
Ver comentários