Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Mais de 600 mil desempregados

Um dia após o Governo ter acabado com as medidas extraordinárias anticrise, a taxa de desemprego atingiu novos máximos históricos em Portugal, que, pela primeira vez, conta com mais de 600 mil desempregados.
3 de Julho de 2010 às 00:30
Governo acabou, nesta semana, com medidas excepcionais que apoiavam os desempregados
Governo acabou, nesta semana, com medidas excepcionais que apoiavam os desempregados FOTO: José Sena Goulão/Lusa

Segundo dados do Eurostat, a taxa de desemprego subiu um ponto e meio em Portugal face a Maio de 2009, tendo atingido os 10,9%. Este novo crescimento registou-se num mês em que as taxas médias da zona euro e da União Europeia (UE) a 27 se mantiveram inalteradas face a Abril, 10% e 9,6%, respectivamente.

Portugal mantém, assim, a quarta taxa de desemprego mais elevada da UE, numa tabela liderada pela Letónia (20%, dados referentes ao primeiro trimestre). A Espanha mantém também uma das taxas mais elevadas, embora tenha registado uma ligeira queda (19,9% em Maio, contra 19,7% em Abril).

Para o ministro da Economia, Vieira da Silva, os valores avançados pelo Eurostat são "estimativas", pois os dados oficiais só são conhecidos em Agosto. Mais confiante, José Sócrates admite que o crescimento do desemprego vai abrandar no Verão, motivado pelo crescimento económico verificado no primeiro trimestre de 2010.

O Presidente da República reconheceu que a taxa portuguesa "é muito elevada" e defendeu a aposta na competitividade das empresas para reduzir estes números.

Da parte dos sindicatos, a UGT alertou para a falta de investimento privado e a CGTP apelou ao regresso das medidas excepcionais.

No Parlamento, PS e PSD votaram contra a tentativa do PCP, BE e CDS-PP de reverter a eliminação destas medidas.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)