Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

Mais sete anos é "medida claramente insuficiente"

Eurogrupo dá mais sete anos a Portugal e à Irlanda para para reembolsarem os empréstimos da troika.
12 de Abril de 2013 às 18:24

O deputado do Bloco de Esquerda Luís Fazenda afirmou que o alargamento em sete anos para Portugal pagar o empréstimo “é uma medida claramente insuficiente, porque o volume da dívida que Portugal mantém como compromisso é enorme". "Não é o simples facto de poder haver um alargamento de prazo que nos vai resolver o problema de fundo em relação à dívida", sustentou.

Do lado do PS, o assessor para Economia e Finanças do secretário-geral socialista, Óscar Gaspar, considerou que a decisão do Eurogrupo é “muito positiva, mas não é suficiente”. Portugal “precisa de mais tempo para fazer o ajustamento do défice, de taxas de juros mais baixas e deferimento dos juros que Portugal tem de pagar”.

Já Luís Montenegro, líder parlamentar do PSD, considera que a hipótese de o País pagar os juros “não é o mais importante”, acrescentando que esta decisão é “ um reconhecimento do esforço que Portugal está a desenvolver, do Governo, dos portugueses” e o reconhecimento da “estratégia de cumprimento”.

Recorde-se que Portugal e a Irlanda terão mais sete anos para pagar os empréstimos, uma decisão aprovada, esta sexta-feira, em Dublin, pelos ministros do Eurogrupo.

resgate Portugalm troika Irlanda Eurogrupo ministros
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)