Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Marcelo propõe renovação do Estado de Emergência até 14 de fevereiro. Leia o documento que já seguiu para o Parlamento

Documento permite adotar medidas necessárias à contenção da propagação da Covid-19.
Correio da Manhã 27 de Janeiro de 2021 às 21:25
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa FOTO: Bruno Colaço
Marcelo rebelo de Sousa enviou esta quarta-feira à noite, para ser discutida no Parlamento, a proposta de renovação do Estado de Emergência até dia 14 de fevereiro para travar o aumento de número de casos de Covid-19 em Portugal, no âmbito do novo confinamento.
"Depois de ouvido o Governo, que se pronunciou esta noite em sentido favorável, o Presidente da República acabou de enviar à Assembleia da República, para autorização desta, o projeto de diploma que renova o estado de emergência por quinze dias, até 14 de fevereiro de 2021, permitindo adotar medidas necessárias à contenção da propagação da doença Covid-19. A situação de calamidade pública provocada pela pandemia Covid-19 continua a agravar-se, fruto, segundo os peritos, da falta de rigor no cumprimento das medidas restritivas, bem como de novas variantes do vírus SARS-CoV-2, que tornam ainda mais difícil a contenção da disseminação da doença", esclarece nota publicada na página da Presidência da República. 
Veja o documento enviado por Marcelo na íntegra



"A capacidade hospitalar do País está posta à prova, mesmo com a mobilização de todos os meios do SNS, das Forças Armadas, dos setores social e privado, pelo que não há alternativa à redução de casos a montante, que só é possível com a diminuição drástica de contágios, que exige o cumprimento rigoroso das regras sanitárias em vigor e a aplicação de restrições de deslocação e contactos. Os peritos insistem que a intensidade e eficácia das medidas restritivas, em particular um confinamento mais rigoroso, é diretamente proporcional à eficácia e rapidez da desaceleração de novos casos, em seguida de internamentos e finalmente de óbitos", justifica Marcelo na nota publicada.
Ver comentários